Casal com câncer morre em clínica suíça para suicídio assistido

Peter Duff (arquivo)
Image caption Peter Duff sofria de câncer de cólon e fígado

Um casal britânico em estágio terminal de câncer morreu em uma clínica de eutanásia na Suíça.

Peter Duff, de 80 anos, e Penelope, de 70, morreram na clínica Dignitas, em Zurique, na sexta-feira passada, de acordo com a filha deles, Helena Conibear.

Não foi divulgado de que forma eles morreram.

Peter, um respeitado perito em vinhos, tinha câncer de cólon e fígado. Sua mulher tinha um tumor estromal gastrintestinal (GIST, em inglês), que é uma forma rara de câncer.

Em nota, a família disse que "Peter e Penny Duff faleceram juntos e serenamente", e elogiou os cuidados que ambos receberam de médicos e enfermeiras na clínica suíça.

Um porta-voz do grupo britânico contra a eutanásia Care Not Killing disse: "Este é um caso muito triste e incomum de um casal desesperado."

"Mas casos difíceis criam leis ruins e o fato é que se a eutanásia for legalizada algum dia na Grã-Bretanha, pessoas vulneráveis e gravemente doentes vão se sentir pressionadas a por fim à vida prematuramente."

A clínica foi criada pelo advogado Ludwig Minelli há dez anos como uma organização sem fins lucrativos. O suicídio assistido é permitido pelas leis suíças desde que quem contribui para que ele aconteça não ganhe com isso.

A prática é proibida em vários países e quase mil pessoas já viajaram para a Suíça para morrer com a ajuda da clínica.