Holanda pede ajuda de brasileiros para identificar homem encontrado morto

polícia reconstituiu rosto em cera para tentar identificar homem morto
Image caption Polícia reconstituiu rosto em cera para tentar identificar homem morto.

A polícia federal holandesa pediu à comunidade brasileira no país que ajude nas investigações para identificar um homem encontrado morto no dia 6 de setembro de 2005.

Os policiais suspeitam que o homem, cujo corpo foi encontrado carbonizado em um bosque, na cidade de Huizen, no centro do país, seja brasileiro. A cabeça e as mãos foram localizadas em uma caixa no canal Amsterdam-Rijn 11 meses mais tarde.

Segundo os peritos, essas partes do corpo não teriam passado mais do que duas ou quatro semanas na água e teriam sido conservadas em um congelador anteriormente.

O investigador Ronald Rijnbeek, da polícia regional de Gooi e Vechtstreek, disse à BBC Brasil que " o rosto do homem estava tão deformado que ficou impossível distinguir suas feições".

As investigações não tinham avançado por falta de identificação da vítima. Nos exames do Instituto Forense Holandês, vestígios de comida, água e oxigênio apontaram resíduos característicos da América do Sul, mais precisamente no Brasil, de acordo com o investigador.

Exames de DNA

Os exames de DNA do homem assassinado já correram o mundo e até agora não houve resultado para revelar sua identidade. O agente da polícia lamenta que o Brasil não tenha um banco de dados para que as informações possam ser comparadas.

Image caption Exames forenses apontaram vestígios de comida, água e ar característicos do Brasil.

"Já entramos em contato com técnicos do Brasil, mas nem um simples banco com impressões digitais existe para ajudar neste caso".

O investigador Rijnbeek declarou ainda que "é possível que o homem não estivesse há muito tempo na Holanda já que os resíduos encontrados no corpo ainda estavam muito evidentes no organismo dele".

"Agradeceremos muito se alguém puder nos ajudar", disse ele em apelos feitos em sites da comunidade brasileira na Holanda.

Uma reconstrução de cera do rosto foi feita em 2006 para que fotos em vários ângulos fossem divulgadas na Holanda. Nos últimos três anos a polícia já fez apelos ao público, incluindo reportagens em dois programas de televisão.

Exames periciais apontaram que pode-se concluir que ele tinha em torno de 1,78m de altura, era do tipo esportivo e musculoso, não fumante e teria entre 20 a 55 anos de idade.

Notícias relacionadas