Atentado deixa dezenas de mortos em Bagdá

Image caption Quase 50 pessoas, entre elas oficiais do Exército, ficaram feridas

Pelo menos 33 pessoas, entre elas um comandante militar local, foram mortos e 46 ficaram feridas em um atentado suicida no oeste de Bagdá, nesta terça-feira, segundo informações de autoridades locais.

O ataque ocorreu no distrito de Abu Ghraib quando um grupo de autoridades, entre elas oficiais do Exército, deixava uma conferência de reconciliação nacional.

O bairro abriga a prisão de mesmo nome, que se tornou um símbolo dos abusos cometidos após a invasão americana de 2003.

A explosão aconteceu quando delegados e participantes deixavam a conferência. Entre os mortos estão líderes tribais, jornalistas, policiais e soldados.

Ainda não se sabe se o militante suicida que cometeu o atentado estava dentro da conferência ou se a explosão ocorreu do lado de fora, quando os participantes deixavam o local.

Violência

Um porta-voz militar americano disse, no domingo, que os níveis de violência no Iraque são os mais baixos desde 2003.

Mas o atentado desta terça-feira foi o terceiro grande ataque ocorrido nos últimos dias no país.

Na quinta-feira, um carro-bomba explodiu em um mercado de gado na província de Babel, matando dez pessoas. Há dois dias, um ataque de um militante suicida com uma moto matou 30 pessoas em uma academia de polícia em Bagdá.

Os recentes ataques aconteceram depois de o Exército americano ter anunciado que vai retirar 12 mil soldados do Iraque nos próximos seis meses.

Nos últimos anos, o Iraque expandiu bastante suas forças policial e militar, em uma tentativa do primeiro-ministro Nouri Al-Maliki de garantir a segurança com a utilização de forças domésticas.

Cerca de 140 mil soldados americanos ainda estão no Iraque. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, diz que as missões de combate serão encerradas até agosto de 2010.

Entre 35 e 50 mil soldados americano devem permanecer no Iraque, fornecendo apoio e treinamento para os iraquianos.

Notícias relacionadas