Rússia anuncia plano de rearmamento militar

O presidente Medvedev

Medvedev quer aumentar a prontidão das Forças Armadas russas

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, afirmou nesta terça-feira que Moscou vai dar início a um amplo plano de rearmamento militar a partir de 2011.

"O objetivo inicial é fazer com que nossas forças estejam mais prontas para o combate, principalmente todas nossas forças nucleares estratégicas", disse Medvedev a militares russos de alta patente.

Ao explicar a decisão, o presidente argumentou que a Otan - a aliança militar formada por países do Atlântico Norte - busca a expansão militar perto de fronteiras da Rússia.

No ano passado, o Kremlin havia anunciado planos para aumentar o financiamento das Forças Armadas russas nos próximos dois anos.

A Rússia vai gastar cerca de US$ 140 bilhões na compra de armas até 2011. O anúncio é parte de uma revisão da segurança do país que deve durar até 2020.

De acordo com analistas, o aumento dos rendimentos com petróleo nos últimos anos permitiram que o Kremlin aumentasse o orçamento militar. Mas, os preços do barril do petróleo chegaram a cair para US$ 40 em 2009, comparados com os mais de US$ 100 em 2008.

Geórgia

Em seu primeiro discurso em sua função de comandante supremo em uma reunião do Ministério da Defesa, Medvedev afirmou que verbas significativas estão sendo destinadas ao desenvolvimento e compra de equipamentos militares modernos.

"Apesar dos problemas financeiros que temos que enfrentar atualmente, na prática o tamanho destas verbas continua o mesmo", afirmou.

De acordo com analistas a curta guerra na Geórgia mostrou os problemas com os equipamentos e práticas antiquadas das Forças Armadas russas e levou a pedidos de modernização militar.

As declarações de Medvedev também parecem significativas pelo que elas mostram do jogo diplomático entre Moscou e o novo governo dos Estados Unidos, segundo o correspondente da BBC em Moscou James Rodgers.

Os dois lados aguardam uma solução para várias questões, como os planos dos Estados Unidos para instalar um sistema de defesa antimísseis nos territórios da Polônia e da República Checa, que dividiu as opiniões no Kremlin e na Casa Branca durante o governo de George W. Bush.

Mas, de acordo com Rodgers, nenhum dos dois lados parece inclinado a simplesmente abandonar opiniões prévias.

O Conselho de Segurança da Rússia está desenvolvendo uma nova doutrina militar que deve refletir os fatos internacionais atuais e do futuro próximo, incluindo mudanças que a Otan faça em 2009, envio de sistemas de defesa antimísseis e proliferação de armas de destruição em massa.

"O Conselho de Segurança vai aprovar a estratégia nacional de segurança da Rússia até 2020 em um futuro próximo", afirmou Medvedev.

Assista abaixo a uma reportagem da BBC sobre o novo arsenal militar da Rússia:

Você precisa da versão correta do Flash Player para ter acesso a este conteúdo

Baixar a versão correta

Executar formatos alternativos de arquivos multimídia

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.