Netanyahu promete negociar paz com Autoridade Palestina

Binyamin Netanyahu
Image caption Netanyahu ficou em segundo mas tinha mais chances de formar coalizão

O premiê designado de Israel, Binyamin Netanyahu, declarou que pretende negociar um acordo de paz com a Autoridade Palestina e que "os palestinos precisam entender" que ele seria um "parceiro para a paz".

Um dia depois de firmar um acordo de coalizão com o Partido Trabalhista, Netanyahu, que é líder do partido Likud, tenta amenizar a imagem de linha dura de seu novo governo e promete buscar um acordo de paz com os palestinos.

"O esforço pela paz é um objetivo contínuo dos governos de Israel, inclusive do meu", declarou Netanyahu em uma conferência sobre economia em Jerusalém.

Netanyahu prometeu agir para dar impulso à economia palestina, mas afirmou que o desenvolvimento econômico não será uma alternativa ao diálogo político.

Netanyahu convocou os empresários presentes na conferência a investirem na Autoridade Palestina e lhes prometeu que "não irão se decepcionar".

A "força econômica será uma base sólida para a paz", acrescentou o próximo primeiro-ministro israelense.

Poucos minutos depois das declarações de Netanyahu, um dos principais lideres do Likud, Gilad Erdan, disse à rádio estatal de Israel que, ao dizer que pretende alcançar a paz com os palestinos, "Netanyahu não se referiu a concessões territoriais, mas sim à continuação do diálogo político".

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, declarou no último domingo que não vai continuar as negociações de paz "se o governo de Israel não congelar imediatamente a construção dos assentamentos nos territórios ocupados".

Segundo o acordo com o Partido Trabalhista, o Likud se comprometeu a respeitar todos os acordos anteriores assinados por Israel, porém a fórmula básica do processo de paz, que consiste na solução de dois Estados, não foi mencionada no acordo.

Netanyahu deverá apresentar seu novo governo ao Parlamento dentro de uma semana e já firmou acordos de coalizão com o partido ultra-direitista Israel Beiteinu e com o partido ultra-ortodoxo Shas, além do Partido Trabalhista.

As negociações com o partido nacionalista religioso Ihud Leumi e com outro partido ultra-ortodoxo, o Yahadut Hatorah, ainda não foram finalizadas.

Notícias relacionadas