Maioria de brasileiros crê em fim da crise até 2010, diz pesquisa

Desempregados no centro de São Paulo
Image caption Brasileiros reclamam da alta do preço dos alimentos, mas estão otimistas

A maioria dos brasileiros acredita que a economia vai se recuperar da atual crise mundial em 2010, segundo pesquisa do Serviço Mundial da BBC divulgada na quarta-feira.

A sondagem realizada em 24 países mostra que 78% dos entrevistados em nove capitais brasileiras creem que a crise terminará dentro de um ano - incluindo 44% que acham que o prazo será de apenas seis meses.

O país com menos expectativas de uma pronta recuperação é o Japão, onde apenas 9% dos entrevistados se incluem nesse grupo.

Entretanto, quase um em cada três brasileiros diz não ter sido afetado pela crise global.

G20

A pesquisa, realizada pelo instituto internacional GlobeScan e pela Universidade de Maryland para o Serviço Mundial da BBC, entrevistou 29.913 pessoas entre 24 de novembro de 2008 e 27 de fevereiro de 2009 em 24 países, sendo 15 deles membros do G20.

Deste total, 70% acreditam que a atual crise global mostra que são necessárias "grandes mudanças" na maneira como a economia mundial é conduzida.

No Brasil, este grupo inclui 77% dos entrevistados.

Outros 71% dos brasileiros acreditam que a economia brasileira também precisa de grandes mudanças para poder responder à crise.

"A pesquisa revela um apelo mundial para que se tome atitudes firmes na cúpula do G20 (realizada em Londres nesta quinta-feira)", disse Doug Miller, diretor do GlobeScan. "Os resultados sugerem que a maioria das pessoas vê o atual sistema econômico mundial como um fracasso."

Alta dos alimentos

A sondagem mostrou ainda que três em cada quatro entrevistados em todo o mundo foram pelo menos razoavelmente atingidos pelo aumento no preço dos alimentos.

"A pesquisa destaca a 'crise esquecida' da alta dos preços dos alimentos, que ainda está tendo um impacto negativo na vida de muita gente", afirmou Miller.

No Brasil, 79% dos entrevistados reclamaram do impacto do problema nas suas vidas - mas o número é menor do que os 91% relatados pelos brasileiros em uma pesquisa semelhante realizada em meados de 2008.

Entre os países onde os entrevistados menos sentiram a alta dos preços dos alimentos estão Alemanha (20%), China (21%) e Canadá (25%).

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet