Lula propõe adoção de real e yuan em comércio com China

Lula e Hu Jintao
Image caption Por causa do dólar, segundo Lula, 'dinheiro sai dos países emergentes e vai para os títulos do Tesouro americano, o que é um contra-senso'.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta sexta-feira, em Londres, que propôs ao presidente chinês Hu Jintao que as trocas comerciais entre China e Brasil passem a ser feitas em reais e yuans.

"Eu propus para a gente começar a discutir que as trocas comerciais entre Brasil e China sejam feitas na moeda brasileira e na moeda chinesa", afirmou.

"Eles vão discutir e, quem sabe, a gente tenha, no dia 19 de maio, o começo de uma boa conversa entre o nosso Banco Central e o Banco Central deles, o nosso ministro da Fazenda e o ministro da Fazenda deles."

Segundo a assessoria da Presidência, Lula tem uma viagem marcada para a China em meados de maio.

A vantagem, segundo Lula, "é que o pequeno empresário não tem que ficar atrás de dólar para comprar, ou seja, ele faz o negócio na moeda do país. É muito mais fácil".

"Essa crise nos ensina que vamos ter que, com o tempo, começar a trocar essas moedas para que a gente não fique dependente do dólar. Essa crise demonstrou uma coisa fantástica. O país que tem a maior crise é os Estados Unidos. Mas como o dólar é a moeda universal, o dinheiro sai dos países emergentes e vai para os títulos do Tesouro americano, o que é um contra-senso."

"Precisamos criar novos mecanismos para não ficarmos tão dependentes do dólar", concluiu Lula.

Sobre o encontro do G20, encerrado na quinta-feira na capital britânica, o presidente disse que não há um país mais importante que o outro.

"Estamos todos numa fragata que começou a vazar água. Alguns estão se molhando, outros ainda não. O Brasil está no andar de cima porque fizemos as coisas certas há alguns anos", disse.

"Por isso, o Brasil pode ser dar o luxo de cobrar o que cada companheiro de outro país está fazendo porque esta é uma crise em que um país como o Brasil não está pedindo dinheiro emprestado, não está pedindo favor", afirmou.

"A única coisa que eu quero é o seguinte: que os Estados Unidos voltem a crescer, que a Europa volte a crescer porque, se eles voltarem a crescer, tudo melhora para o Brasil."

Lula conversou com a imprensa após visitar as obras da Vila Olímpica para os Jogos de 2012, no leste de Londres. O objetivo da visita é divulgar a candidatura do Rio de Janeiro para a Olimpíada de 2016.