Polícia britânica prende crianças acusadas de atacar outras crianças

Policiais vigiam local onde vítima de 11 anos foi encontrada
Image caption Policiais vigiam local onde vítima de 11 anos foi encontrada

A polícia britânica prendeu dois meninos, de dez e 11 anos de idade, por supostamente terem relação com agressões sofridas por outras duas crianças, de 11 e nove anos, na região da cidade de Doncaster, no centro da Inglaterra.

Os policiais receberam permissão da Justiça para interrogar por mais 36 h os dois meninos depois que a vítima de 11 anos foi encontrada com ferimentos na cabeça em um barranco perto da cidade.

Em uma rua próxima, o amigo dele, de nove anos, foi encontrado sangrando devido a facadas pelo corpo todo. Ele teve que passar por uma cirurgia no braço.

Moradores do local disseram à BBC que acreditam que as vítimas foram atacadas com um tijolo, cortadas com uma faca e queimadas com cigarros. Acredita-se que seus celulares, tênis e três libras (cerca de R$ 10) em dinheiro foram roubados.

''Revoltante''

A notícia repercutiu até no governo britânico, e o primeiro-ministro, Gordon Brown, afirmou que este é "um incidente revoltante".

Um porta-voz do premiê afirmou que Brown disse, no entanto, que não se pode tirar conclusões apressadas a respeito do estado da sociedade.

"Na opinião dele, a grande maioria (das crianças britânicas) são bem comportadas, têm boa criação e, por isso, ele seria mais cauteloso antes de tirar uma conclusão geral a respeito de um evento perturbador, porém único", afirmou um porta-voz do governo.

Lisa Meehan, moradora de Doncaster, afirmou à BBC que sua filha encontrou a vítima mais jovem vagando pelas ruas, descalço e coberto de sangue.

"Fiquei enjoada. Você não conseguia ver o rosto dele, ele estava cortado da cabeça aos pés, com um corte profundo na cabeça", disse.

Derek Wright, de 70 anos, afirmou que seu filho Ian viu a vítima de 11 anos às margens de um riacho, deitado de bruços com os braços estendidos, coberto de lama seca e sangue.

"Eles são animais. Não sei como uma criança pode fazer isso com outra criança", afirmou.

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet