Tigres Tâmeis declaram cessar-fogo unilateral no Sri Lanka

Conflito no Sri Lanka
Image caption Os rebeldes estão cercados por tropas do Exército em uma área de 12 km2

Os rebeldes do grupo separatista Tigres Tâmeis anunciaram neste domingo um cessar-fogo unilateral com efeito imediato no Sri Lanka.

O secretário da Defesa cingalês, Gotabaya Rajapakse, rejeitou a trégua. Ele disse à BBC que o cessar-fogo era uma "piada" e que os rebeldes deveriam se render e libertar todos os civis presos na zona de conflito, no noroeste do país.

Um porta-voz dos Tigres Tâmeis disse à BBC que a decisão foi tomada devido ao que chamou de uma "crise humanitária sem precedentes" na região.

Os rebeldes afirmaram ainda que o anúncio é uma resposta aos pedidos de trégua da ONU, da União Européia, dos governos da Índia e de outros países.

A comunidade internacional vem pressionando o Exército e os separatistas por um cessar-fogo. O subsecretário-geral adjunto da ONU para Assuntos Humanitários, John Holmes, se reuniu com autoridades cingalesas para pedir permissão de acesso de agentes humanitários na zona de conflito.

O governo também criou acampamentos temporários para refugiados.

Os rebeldes estão cercados por tropas em uma área de 12 quilômetros quadrados. Segundo a ONU, cerca de 160 mil civis conseguiram fugir da região, mas cerca de 50 mil permanecem presos entre o conflito.

O correspondente da BBC na capital cingalesa, Colombo, Charles Haviland, disse que a declaração de cessar-fogo unilateral demonstra que os rebeldes estão se sentindo cada vez mais pressionados.

O governo, em contrapartida, sente que está avançando na campanha contra os Tigres Tâmeis, afirmou o correspondente.

Notícias relacionadas