Exportações despencam e PIB dos EUA cai 6,1% no 1º trimestre

Comércio
Image caption Departamento de Comércio dos EUA diz que houve queda recorde nas exportações

A economia dos Estados Unidos sofreu contração anualizada de 6,1% no primeiro trimestre deste ano, segundo dados divulgados pelo Departamento de Comércio americano nesta quarta-feira.

O declínio no Produto Interno Bruto (PIB) supera a estimativa que vinha sendo feita por analistas, que era de uma retração na faixa de 5%.

O colapso se deve a uma queda nas exportações e aos maus resultados no setor comercial, em especial no de compra de imóveis. O declínio só não foi maior porque houve melhoras nos gastos por parte dos consumidores.

É a primeira vez que o PIB americano cai por três trimestres seguidos desde 1975.

No trimestre passado, a queda do PIB foi ainda maior, tendo chegado a 6,3%.

Exportações

O relatório do Departamento do Comércio aponta que houve uma queda de 30% nas exportações americanas.

É o maior declínio desde 1969. A queda registrada no último trimestre foi de 23,6%

O documento apontou também que houve um colapso recorde nos inventários das empresas neste primeiro trimestre, de US$ 103,7 bilhões, com as companhias tendo procurado vender produtos que foram estocados em seus depósitos.

O declínio dos inventários pode, no entanto, indicar perspectivas mais otimistas para a economia, pois sugere que fabricantes e comércio reduziram seus estoques de produtos não comercializados para níveis toleráveis, o que pode ajudar a tirar a economia do país da recessão.

Boa notícia

O relatório também apresentou outras conclusões mais animadoras, como o índice de gastos do consumidor. Esse componente, que representa 75% da atividade econômica, teve um aumento de 2,2%, após ter sofrido queda considerável na segunda metade do ano passado.

A alta no índice de consumo reflete um 9,4% na compra de bens duráveis. Foi a primeira vez que este indicador registrou alta, após quatro trimestres seguidos de queda.

De acordo com o Departamento de Comércio, o pacote de estímulo econômico de US$ 787 bilhões teve impacto muito limitado sobre os índices deste primeiro trimestre.

Algumas das medidas contidas no plano econômico visam estimular investimentos por parte de governos estaduais e municipais, mas, segundo o Departamento do Comércio, tais investimentos registraram queda de 3,9% neste período, o maior declínio desde 1981.

Notícias relacionadas