Piratas somalis sequestram navio procedente do Brasil

Patrulha no Golfo de Aden
Image caption Vários países enviaram navios para patrulhar o Golfo de Aden por causa de pirataria

Um navio com tripulação ucraniana que transportava 35 mil toneladas de soja do Brasil para o Oriente Médio foi sequestrado por piratas somalis perto das ilhas Seychelles, de acordo com uma organização assistencial para trabalhadores da marinha mercante.

Um porta-voz da East African Seafarers Assistance Programme, Andrew Mwangura, disse no Quênia que o MV Ariana foi atacado entre sexta-feira e sábado, mas os 24 tripulantes aparentemente não foram feridos.

A embarcação é administrada pela empresa Seven Seas Maritime, de Londres.

O incidente ocorreu poucas horas depois que um navio da Marinha portuguesa que faz parte de uma patrulha antipirataria da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) frustrou um ataque ao petroleiro norueguês MV Kition no Golfo de Áden.

A tripulação do navio português enviou um helicóptero para atender a um pedido de socorro vindo do petroleiro, que estava a uma distância de 160 quilômetros da costa da Somália.

Um porta-voz da força de intervenção rápida da Otan, o comandante português Alexandre Santos Fernandes, disse que os piratas foram perseguidos até o seu próprio barco. Dezenove piratas foram detidos, mas acabaram libertados porque não atacaram propriedade ou cidadãos de Portugal.

Os militares portugueses apreenderam quatro metralhadoras AK-47, um lança-granadas, nove granadas RPG e um quilo de explosivos, de acordo com o jornal português O Público.

Os piratas têm em seu poder 18 navios e cerca de 300 tripulates.