Papa visita local do 'batismo' de Cristo

O papa Bento 16, o rei Abdullah 2º (C) e a rainha Rania à beira do rio Jordão
Image caption Bento 16 visitou rio Jordão ao lado do rei Abdullah e da rainha Rania

No terceiro dia de sua viagem ao Oriente Médio, o papa Bento 16 visitou neste domingo o local onde, segundo a tradição cristã, Jesus Cristo foi batizado, na Jordânia.

Bento 16 chegou a Betânia, às margens do rio Jordão, acompanhado do rei Abdullah e da rainha Rania. Acredita-se que João Batista pregava nesse local e que tenha batizado Jesus Cristo nas águas do rio.

Durante a visita, o papa abençoou as pedras fundamentais de duas igrejas que estão sendo construídas no local.

Na manhã deste domingo, Bento 16 celebrou uma missa campal para milhares de pessoas em um estádio de futebol na capital da Jordânia, Amã.

O governo decretou feriado especial neste domingo (dia de trabalho normal na Jordânia) para que os cerca de 200 mil católicos e seguidores de outras crenças cristãs do país pudessem acompanhar a missa.

No entanto, segundo o correspondente da BBC David Willey, que acompanha a viagem do papa, o estádio, com capacidade para 20 mil pessoas, não ficou lotado.

Minoria

Na missa, Bento 16 pediu aos fiéis que não esqueçam da "grande dignidade" que vem da herança cristã.

"A fidelidade às nossas raízes cristãs, a fidelidade à missão da Igreja na Terra Santa, exige de cada um de vocês uma dose de coragem", disse o pontífice.

De acordo com Willey, a situação da minoria católica no Oriente Médio piorou consideravelmente desde a última visita de um papa à Jordânia, há nove anos. Desde então, segundo Willey, muitas famílias católicas deixaram a região.

Um dos objetivos da visita de Bento 16 ao Oriente Médio é tentar interceder em favor dos árabes cristãos. A viagem também busca melhorar as relações do Vaticano com líderes islâmicos e judeus.

O Oriente Médio é considerado o berço do cristianismo e abriga algumas das mais antigas comunidades cristãs do mundo.

No entanto, o número de árabes cristãos vem caindo nos últimos anos em países muçulmanos, o que preocupa o Vaticano.

Nesta segunda-feira o papa chega a Israel. O roteiro de oito dias do pontífice inclui ainda uma visita a Belém, na Cisjordânia, cidade onde, segundo a tradição cristã, Jesus Cristo nasceu.

Acredita-se que o papa fará um apelo pela paz entre israelenses e palestinos e pela criação de uma "terra palestina".

Notícias relacionadas