Parlamentar britânico é suspenso em escândalo de reembolso

David Chaytor
Image caption O parlamentar é mais um envolvido no escândalo de despesas

O parlamentar David Chaytor foi suspenso do Partido Trabalhista, na Grã-Bretanha, sob acusação de continuar pedindo reembolso por uma hipoteca que já havia sido paga.

Ele é o segundo parlamentar do Partido Trabalhista, do primeiro-ministro Gordon Brown, a ser investigado no escândalo sobre o gasto indevido de dinheiro público no Parlamento britânico.

De acordo com o jornal The Daily Telegraph deste sábado, Chaytor recebeu cerca de 13 mil libras (aproximadamente R$ 41 mil) por um apartamento em Londres cujo pagamento havia terminado em 2004.

O jornal ainda faz outras acusações contra vários parlamentares trabalhistas e conservadores.

Segundo publicou o diário britânico The Guardian, também neste sábado, o Partido Trabalhista deverá impedir que qualquer de seus parlamentares envolvidos no escândalo concorra a cargos públicos nas próximas eleições.

Erro imperdoável

Chaytor já se dirigiu ao órgão que investiga os casos. Segundo o Telegraph, ele teria dito que cometeu "um erro imperdoável em minha contabilidade, pelo qual peço desculpas".

Ele também teria dito ao jornal que vai devolver o dinheiro imediatamente para a Câmara dos Comuns.

Chaytor é o segundo parlamentar do Partido Trabalhista a ser investigado no escândalo. Antes dele, o ex-secretário Elliot Morley também foi acusado de uso indevido do dinheiro público e foi suspenso do partido.

A mulher de Chaytor, Sheena, disse que seu marido "ficou chocado quando ouviu" as acusações sobre suas despesas, acrescentando que ele ficou "pasmo, ele não conseguia acreditar".

"Ele cometeu um erro realmente estúpido. Foi um erro, mas não creio que ninguém vá acreditar nisso. Eu espero, no entanto, que acreditem", disse Sheena.

Segundo o ex-parlamentar independente Martin Bell, a corrupção agora "parece ser endêmica" na Câmara dos Comuns.

Notícias relacionadas