'Vocês têm inveja', diz deputado britânico envolvido no escândalo dos reembolsos

Anthony Steen (arquivo)
Image caption Anthony Steen está entre deputados que dizem que deixarão a vida pública

O deputado britânico Anthony Steen, do Partido Conservador, anunciou que não vai mais concorrer a eleições depois que se viu envolvido no escândalo de reembolsos no país e disse que seus críticos estão "com inveja" dele por causa de sua "casa muito, muito grande".

O representante de Totnes, em Devon, pediu reembolso de 87.729 mil libras esterlinas (o equivalente a cerca de R$ 280 mil) em quatro anos para a manutenção de sua residência secundária na região, de acordo com o jornal britânico The Daily Telegraph.

As despesas incluíram o pagamento de um especialista para inspecionar algumas das 500 árvores em volta da propriedade e para proteger suas plantas da ação de coelhos.

Steen disse em uma entrevista a uma das emissoras de rádio da BBC na Grã-Bretanha que se comportou de maneira "impecável" no caso.

"Eu acho que eu me comportei de maneira impecável. Eu não fiz nada criminoso. E você sabe do que se trata? Inveja. Eu tenho uma casa muito, muito grande. Algumas pessoas dizem que parece com Balmoral (residência da Família Real na Escócia), mas é a casa de um comerciante do século 19", afirmou.

Comparando as revelações diárias do The Daily Telegraph sobre as despesas dos parlamentares a uma novela de TV, Steen disse: "Que direito o público tem de interferir na minha vida privada? Nenhum. Sabe o que isso me faz lembrar? De um capítulo de Coronation Street (novela da TV britânica)."

Poucas horas depois, Steen pediu desculpas pelas declarações, dizendo que estava "profundamente chateado com a situação" e que reagiu "de maneira exagerada", dizendo "coisas inapropriadas".

O escândalo atingiu parlamentares dos principais partidos e envolve o uso de verbas públicas por deputados a título de ressarcimento de gastos pessoais. O caso est[a tendo grande repercussão nos jornais e derrubou o presidente da Câmara dos Comuns, Michael Martin, do Partido Trabalhista, governista.

Casa para patos

Steen, há 35 anos no Parlamento, está entre três deputados do Partido Conservador que anunciaram que vão deixar a vida pública.

Peter Viggers cobrou reembolso de mais de 30 mil libras (o equivalente a cerca de R$ 95 mil) por despesas com jardinagem durante três anos, e teve rejeitada cobrança de 1.645 mil libras esterlinas (o equivalente a cerca de R$ 5 mil) relativa a uma casa flutuante para patos na lagoa que tem em sua propriedade no interior do país.

Douglas Hogg teria pedido ressarcimento dos gastos com a limpeza de um fosso em torno de sua casa no interior da Inglaterra, segundo o Daily Telegraph.

O deputado trabalhista Ben Chapman também anunciou que não vai concorrer às eleições, embora insista que não fez nada de errado.

O caso abalou a reputação da classe política na Grã-Bretanha e está levando a uma revisão das regras das despesas que os deputados podem cobrar dos cofres públicos pelo desempenho de suas funções.