Com o mesmo premiê, novo governo toma posse na Índia

Manmohan Singh (arquivo)
Image caption Manmohan Singh volta para o segundo mandato como primeiro-ministro

O novo governo da Índia, com Manmohan Singh como primeiro-ministro pela segunda vez consecutiva, tomou posse nesta sexta-feira na capital, Nova Déli.

Singh, que concluiu cinco anos no poder no primeiro mandato, se tornou o segundo premiê, depois de Jawaharial Nehru, a voltar ao poder no país.

O Partido do Congresso, governista, e seus aliados obtiveram uma vitória decisiva nas últimas eleições, que ocorreram em cinco fases e tiveram seu encerramento no final de semana passado.

O Partido e seus aliados garantiram 262 cadeiras no Parlamento, enquanto a aliança liderada pelo partido nacionalista hindu BJP (Bharatiya Janata Party) conseguiu 158 cadeiras.

De acordo com o correspondente da BBC em Nova Déli Sanjoy Majumder, depois desta vitória Singh ficou politicamente fortalecido e deve liderar uma administração estável. Ele já indicou que a economia e segurança nacional serão as prioridades.

Cerimônia

Manmohan Singh foi empossado pelo presidente indiano Pratibha Patil em uma cerimônia solene no palácio presidencial em Nova Déli.

Outros 19 ministros também foram empossados, entre eles os veteranos do Partido Congresso como Pranab Mukherjee, que era o ministro do Exterior no governo anterior, P. Chidambaram, o ministro do Interior, e Kamal Nath, que representou a Índia nas negociações da Organização Mundial do Comércio nos últimos anos.

Mas políticos da aliança de governo, como Sharad Pawar e Mamata Banerjee, também receberam pastas dos ministérios indianos. Mais ministros devem ser empossados nas próximas semanas.

Nos últimos dias Manmohan Singh e a líder do Partido Congresso, Sonia Gandhi, negociaram com os aliados eleitorais a respeito da distribuição de cargos no governo.

Na quinta-feira, o partido DMK deixou a aliança de governo depois do fracasso das negociações. O líder do partido, M Karunainidhi, não aprovou a distribuição dos cargos no gabinete de governo.