Venezuela pagará US$ 1 bi por nacionalização de banco do grupo Santander

Image caption Goguikian afirmou que o negócio foi bom para ambas as partes

Acompanhando a nova etapa de nacionalizações, o governo venezuelano anunciou, nesta sexta-feira, que pagará pouco mais de US$ 1 bilhão pela compra de uma das maiores instituições financeiras do país, o Banco da Venezuela, que pertence ao grupo espanhol Santander.

"Agora (o banco da Venezuela) passa a ser do povo, porque, na verdade, o que é do governo é do povo", afirmou o presidente Hugo Chávez, ao comemorar a aquisição do banco durante um ato público com estudantes, em Barinas, seu Estado natal.

A nacionalização do banco da Venezuela havia sido anunciada no ano passado pelo presidente venezuelano, mas as negociações se arrastaram ao longo deste período porque havia um impasse quanto ao valor a ser pago pela compra.

Na época, Chávez disse que pretendia transformar a filial do grupo Santander, que conta com 285 sucursais e 3,2 milhões de clientes, em uma versão local da Caixa Econômica Federal.

Empregos

Durante a reunião em que foi anunciada o acordo, o vice-presidente venezuelano, Ramón Carrizález, disse que a compra está "dentro da estratégia de desenvolvimento nacional do país" e pretende "fortalecer o setor financeiro público".

Com esta medida, o Estado passará a controlar 25% do setor bancário do país, convertendo-se no principal gerente do sistema financeiro venezuelano.

Carrizález disse que o Estado manterá o emprego de todos os funcionários da instituição. "Em nenhum dos processos de nacionalização os trabalhadores foram afetados, pelo contrário. Este governo tende a fortalecer a classe trabalhadora", afirmou.

Acordo

O acordo fechado entre o governo e a presidência do banco prevê o pagamento de 60% do total de US$1,05 bilhão (US$ 630 milhões) no dia 3 de julho, quando o contrato de compra e venda será definitivamente assinado.

O restante será pago em duas cotas iguais, com vencimentos previstos para outubro e dezembro.

O presidente do Banco da Venezuela, Michael Goguikian, disse que o resultado da negociação foi "satisfatório tanto para a República como para o Santander".

Privatizado em 1996, o Banco da Venezuela foi comprado pelo grupo Santander em um leilão público por US$ 351,5 milhões.

A compra da instituição bancária é realizada em meio à crise financeira internacional, que tem afetado a economia do país, quinto exportador mundial de petróleo.

De acordo com o Ministério de Finanças, a receita com o petróleo caiu pela metade neste ano em comparação com 2008. A queda no preço do barril de petróleo também afetou o desempenho do PIB no primeiro trimestre deste ano, que registrou crescimento de apenas 0,3% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Banco Central da Venezuela.

Para o governo, no entanto, a nacionalização dos setores da economia considerados estratégicos é um dos caminhos para consolidar o chamado "socialismo do século 21".

Desde 2007, foram nacionalizadas as companhias de telecomunicações e de eletricidade, a faixa petrolífera do rio Orinoco, três empresas de cimento e, mais recentemente, o setor siderúrgico.

Leia também na BBC Brasil: Chávez anuncia estatização de siderúrgicas

Notícias relacionadas