Cronologia: Coreia do Norte vive trajetória de desconfiança e tensão

Kim Il-sung (arquivo)
Image caption Morto em 1994, Kim Il-sung continua como 'presidente eterno'

Leia abaixo uma relação dos momentos mais importantes da história da Coreia do Norte.

1945 - Depois da Segunda Guerra Mundial, termina a ocupação japonesa da Coreia. As tropas soviéticas ocupam o norte da península e as americanas, o sul.

1946 - O Partido Comunista da Coreia do Norte é lançado, tendo à frente uma liderança apoiada pelos soviéticos - ela incluía Kim Il-sung, treinado pelo Exército Vermelho.

1948 - A República Popular Democrática da Coreia é proclamada. As tropas soviéticas se retiram.

1950 - O sul declara a independência, provocando uma invasão norte-coreana.

1953 - Um armistício põe fim à Guerra da Coreia, que matou 2 milhões de pessoas.

1960 - A década de 60 é marcada por forte desenvolvimento industrial e incidentes de espionagem dos Estados Unidos.

1972 - Depois de conversações secretas, as duas Coreias buscam um diálogo para a unificação.

1991 - As duas Coreias passam a integrar a Organização das Nações Unidas.

1992 - A Coreia do Norte concorda em permitir inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), mas, nos dois anos seguintes, se recusa a dar acesso a locais onde supostamente produz armas nucleares.

1994 - Morre Kim Il-sung. O filho, Kim Jong-il, assume a liderança do país, mas não recebe o título de presidente. A Coreia do Norte concorda em congelar seu programa nuclear em troca de combustível e dois reatores nucleares para a produção de energia, no valor de US$ 5 bilhões.

1995 - Os Estados Unidos concordam formalmente em ajudar a Coreia a obter dois reatores nucleares modernos, projetados para produzir menos plutônio do tipo usado para armamentos.

Enchentes e fome

1996 - O país passa por um período de fome depois de graves enchentes. O governo anuncia que não vai mais respeitar o armistício que pôs fim à Guerra da Coreia e envia tropas para a zona desmilitarizada entre norte e sul. Um submarino norte-coreano encalha no sul.

1998 - Kim Il-song é declarado postumamente "presidente eterno", e os poderes de Kim Jong-il são ampliados, fazendo dele chefe de Estado. As Nações Unidas levam ajuda humanitária para as vítimas da fome. A Coreia do Norte lança um foguete que sobrevoa o Japão e cai no Oceano Pacífico e insiste que ele levava um satélite e não se tratava de um míssil.

A Coreia do Sul captura um minissubmarino norte-coreano em suas águas territoriais. Os nove tripulantes são encontrados mortos no interior da nave.

Image caption Kim Dae-jung (dir.) e Kim Jong-il fazem história em 2000

Aperto de mão histórico

Os líderes das duas Coreias se reúnem em um momento em que surgem novas esperanças para a paz.

2000 - Cúpula em Pyongyang entre Kim Jong-il e o presidente sul-coreano Kim Dae-jung. O norte suspende a radiodifusão de propaganda contra o sul. Jornalistas sul-coreanos visitam a Coreia do Norte para iniciar comunicações. A Coreia do Sul dá anistia a mais de 3,5 mil prisioneiros.

Cem norte-coreanos se encontram com os parentes no sul em cenas carregadas de emoção.

Maio de 2001 - Uma delegação da União Europeia liderada pelo primeiro-ministro sueco Goran Persson visita o país para ajudar a reforçar o frágil processo de reconciliação com a Coreia do Sul. O grupo é a missão diplomática ocidental de mais alto nível a entrar na Coreia do Norte.

Junho de 2001 - A Coreia do Norte diz que enfrenta a pior seca de sua história.

Agosto de 2001 - Kim Jong-il chega a Moscou para uma primeira visita depois de uma viagem de trem de nove dias em que percorreu dez quilômetros, partindo de Pyongyang. Relatos indicam que o líder norte-coreano não gosta de viajar de avião.

Janeiro de 2002 - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, diz que a Coreia do Norte é parte de um "eixo do mal", juntamente com Irã e Iraque.

Junho de 2002 - Navios das Coreias do Norte e do Sul trocam fogo de artilharia - a confrontação mais grave em três anos. Cerca de 30 marinheiros norte-coreanos e quatro sul-coreanos morrem.

Setembro de 2002 - O primeiro-ministro japonês Junichiro Koizumi vai à Coreia do Norte, na primeira visita de um líder japonês ao país. Ele se encontra com Kim Jong-il, que pede desculpas pelo sequestro de cidadãos japoneses nas décadas de 70 e 80.

Impasse nuclear

Outubro-Dezembro de 2002 - As tensões aumentam por causa da questão nuclear. Em outubro, os Estados Unidos dizem que a Coreia do Norte admitiu ter um programa secreto de armas. Os Estados Unidos decidem suspender o envio de combustível para Pyongyang. Em dezembro, a Coreia do Norte começa a reativar seu reator em Yongbyon e expulsa os inspetores internacionais do país.

Image caption A Coreia do Norte chegou a anunciar o fechamento da usina de Yongbyon

Janeiro de 2003 - A Coreia do Norte se retira do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, acordo internacional crucial para impedir a proliferação de armas atômicas.

Abril de 2003 - Delegações de Coreia do Norte, Estados Unidos e China começam conversações em Pequim sobre as ambições nucleares norte-coreanas - são as primeiras discussões desde o começo da crise nuclear.

Julho de 2003 - Pyongyang diz que tem plutônio suficiente para começar a fabricar bombas nucleares.

Conversações multilaterais

Agosto de 2003 - As conversações em Pequim envolvendo seis países não conseguem resolver divergências entre Estados Unidos e Coreia do Norte.

Outubro de 2003 - Pyongyang diz que através de reprocessamento conseguiu material suficiente para fabricar seis bombas nucleares.

Junho de 2004 - A terceira rodada de conversações multilaterais sobre o programa nuclear termina sem resultados. A Coreia do Norte se retira da rodada marcada para setembro.

Dezembro de 2004 - Coreia do Norte e Japão divergem sobre o destino de cidadãos japoneses sequestrados e treinados como espiões pela Coreia do Norte nas décadas de 70 e 80. O governo japonês diz que as oito vítimas, que os norte-coreanos dizem estar mortas, estariam vivas.

Fevereiro de 2005 - Pyongyang diz que fabricou armas nucleares para defesa.

Setembro de 2005 - A quarta rodada de conversações multilaterais sobre o programa nuclear norte-coreano é concluída. A Coreia do Norte concorda em abrir mão de armas em troca de ajuda e garantias de segurança. Mas o país exige depois um reator nuclear civil.

Fevereiro de 2006 - Conversações de alto nível com o Japão - as primeiras desde 2003 - não produzem um acordo em questões-chaves como o destino dos cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte.

Julho de 2006 - A Coreia do Norte realiza testes com mísseis de longo e médio alcance, o que provoca protestos internacionais. Apesar de supostamente ter a capacidade de atingir os Estados Unidos, o míssil de longo alcance Taepodong-2 cai pouco depois do lançamento, de acordo com autoridades americanas.

Outubro de 2006 - A Coreia do Norte alega que realizou um teste nuclear pela primeira vez.

Fevereiro de 2007 - Retomada em Pequim das conversações multilaterais sobre o programa nuclear norte-coreano. Na última hora, a Coreia do Norte concorda em fechar seu principal reator nuclear em troca de uma doação de combustível.

Maio de 2007 - Trens de passageiros cruzam a fronteira entre as duas Coreias pela primeira vez em 56 anos.

Junho de 2007 - Inspetores internacionais visitam o complexo nuclear de Yongbyon pela primeira vez desde que foram expulsos do país em 2002. Em julho, eles confirmam o fechamento da usina.

Agosto de 2007 - A Coreia do Norte apela por ajuda depois de fortes enchentes.

Compromisso

Outubro de 2007 - O governo norte-coreano se compromete a desativar três instalações nucleares e declara que seu programa nuclear estará encerrado no fim de 2007. Os presidentes das duas Coreias se comprometem em uma cúpula em Pyongyang a procurar um diálogo para encerrar formalmente a Guerra da Coreia.

Novembro de 2007 - Os primeiros-ministros das duas Coreias se encontram pela primeira vez em 15 anos.

Janeiro de 2008 - Os Estados Unidos dizem que a Coreia do Norte não cumpriu o prazo marcado para o fim de 2007 para declarar o fim de suas atividades nucleares. A China pede à Coreia do Norte que honre seus compromissos.

Fevereiro de 2008 - O novo presidente da Coreia do Sul, o conservador Lee Myung-bak, condiciona a concessão de ajuda ao norte ao desarmamento nuclear e a um melhor desempenho em questões de direitos humanos.

Março-Abril de 2008 - As relações norte-sul se deterioram acentuadamente. A Coreia do Norte expulsa gerentes de um polo industrial conjunto, realiza testes com mísseis de curto alcance e acusa o presidente sul-coreano de enviar um navio de guerra para as águas do norte.

Junho de 2008 - No que é visto como um passo-chave no processo de desnuclearização, a Coreia do Norte faz uma declaração indicando suas instalações nucleares em um gesto há muito esperado.

Julho de 2008 - Soldados matam a tiros uma mulher sul-coreana no monte Kumgang, uma área especial de turismo da Coreia do Norte, levando a um aumento de tensões. O ministro do Exterior da Coreia do Norte, Pak Ui-chun, e a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, conversam sobre o desarmamento de Pyongyang na primeira reunião do tipo em quatro anos.

Image caption Lançamento de foguete provocou críticas do Conselho de Segurança

Kim não aparece

Setembro de 2008 - Kim Jong-il não comparece a uma importante parada militar, levando a especulações sobre seu estado de saúde. A Coreia do Norte acusa os Estados Unidos de não cumprirem sua parte no acordo de ajuda em troca de desarmamento e diz que está se preparando para reativar o reator de Yongbyon.

Outubro de 2008 - Os Estados Unidos retiram a Coreia do Norte de sua lista de países que patrocinam o terrorismo. Em troca disso, o governo norte-coreano concorda em abrir o acesso a suas instalações nucleares.

Novembro de 2008 - A Coreia do Norte diz que vai interromper toda a ligação por terra para o Sul a partir de dezembro e culpa a Coreia do Sul por buscar uma política de confronto.

Dezembro de 2008 - O governo norte-coreano diz que vai tornar mais lento o trabalho de desmantelamento de seu programa nuclear em resposta à decisão dos Estados Unidos de suspender a ajuda energética. Os Estados Unidos suspenderam a ajuda depois do fracasso de conversações internacionais para encerrar as atividades nucleares da Coreia do Norte.

Janeiro de 2009 - A Coreia do Norte diz que está suspendendo todos os acordos militares e políticos com o sul e acusa o governo sul-coreano de ter "intenções hostis".

Abril de 2009 - A Coreia do Norte lança um foguete levando o que diz ser um satélite de comunicações. Seus vizinhos acusam o país de testar tecnologia de mísseis de longo alcance. O Conselho de Segurança das Nações Unidas critica o lançamento, e a Coreia do Norte abandona as conversações multilaterais para pôr fim a seu programa nuclear.

Maio de 2009 - A Coreia do Norte diz que realizou um novo teste nuclear.