Tigre mata tratador diante de turistas em zoológico neozelandês

Tigre branco
Image caption Zoológico onde ocorreu o ataque tem cerca de 40 tigres e leões raros

Um raro tigre branco atacou e matou seu tratador nesta quarta-feira em um zoológico da Nova Zelândia diante do olhar horrorizado de um grupo de turistas.

Segundo a polícia local, o tigre agarrou o tratador enquanto ele limpava o cercado onde vivia o animal. Outros funcionários tentaram desvencilhá-lo do tigre, sem sucesso.

O ataque ocorreu no zoológico Zion Wildlife Gardens, na cidade de Whangarei, a cerca de 200 quilômetros de Auckland.

O zoológico, que abriga cerca de 40 tigres e leões raros, foi fechado aos visitantes, e o animal que atacou o tratador, um dos únicos 120 tigres brancos do mundo, foi sacrificado.

'Dia incrivelmente triste'

Segundo a polícia, o ataque foi testemunhado por um grupo de oito visitantes.

Em um comunicado no site do zoológico, a direção do Zion Wildlife Gardens afirma que este é "um dia incrivelmente triste" para o parque e diz estar prestando apoio à família do funcionário morto e aos demais funcionários, que estariam "devastados".

No início do ano, outro tratador havia sido atacado, supostamente pelo mesmo tigre. Ele teria sido salvo graças à intervenção do tratador morto ontem, mas precisou passar por cirurgias na perna após o ataque.

Em abril de 2008 uma tratadora teve as duas mãos mordidas por um leão no zoológico.

Programa de TV

O Zion Wildlife Gardens é bastante conhecido na Nova Zelândia, por ter sido o cenário de um programa de TV comandado pelo seu fundador, Craig Busch, conhecido como "Lion Man" (Homem-Leão).

Segundo a mídia neozelandesa, uma investigação recente do Ministério da Agricultura teria indicado condições inadequadas para os animais e sugerido o sacrifício de 40 felinos. A direção do zoológico contesta os resultados da investigação.

Em um comunicado por escrito, Craig Busch, que foi recentemente demitido da direção do parque por sua própria mãe, descreveu a morte do tratador como "um evento absolutamente trágico para todos os envolvidos" e se ofereceu para ajudar as autoridades nas investigações sobre o ataque.

Notícias relacionadas