Tropas da Coreia do Sul e dos EUA elevam nível de alerta

mobilização de tropas sul-coreanas
Image caption Tropas sul-coreanas aumentaram vigilância sobre o norte

Tropas americanas e sul-coreanas aumentaram o nível de alerta um dia depois de a Coreia do Norte anunciar o rompimento do armistício que pôs fim à Guerra da Coreia, em 1953.

Segundo porta-voz do ministério da Defesa sul-coreano, Won Tae-Jae, o nível de alerta será elevado de 3 para 2 nesta quinta-feira, em uma escala decrescente de 5 a 1.

A última vez em que o país aumentou seu nível de alerta foi em outubro de 2006, quando a Coreia do Norte realizou seu primeiro teste nuclear.

Há três dias a Coreia do Norte realizou um teste nuclear subterrâneo, seguido por lançamentos de mísseis de curto alcance no Mar do Japão, mas até agora não há relatos de que o governo comunista esteja mobilizando tropas dentro do país.

Ainda assim, o ministério da Defesa em Seul insiste que a vigilância sobre o norte será aumentada, com "maior mobilização de aeronaves para curtos voos de vigilância, e pessoal".

Na quarta-feira a Coreia do Norte justificou o rompimento do armistício como resposta ao anúncio do vizinho do sul, que, no dia anterior, havia decidido aderir a um programa liderado pelos Estados Unidos que prevê a vistoria de navios suspeitos de transportar armas de destruição em massa.

"Qualquer ação hostil contra nossos navios pacíficos, inclusive com busca e confisco (de material) será considerada uma violação imperdoável da nossa soberania e nós vamos responder imediatamente com um poderoso ataque militar", disse um porta-voz do Exército norte-coreano, de acordo com a agência de notícias oficial do país KCNA.

A Iniciativa de Segurança contra a Proliferação (PSI, na sigla em inglês), é um programa criado durante o governo do ex-presidente americano George W. Bush para impedir o tráfico mundial deste tipo de arma.

Sanções

A Coreia do Norte disse que não se vê mais obrigada a cumprir o armistício que pôs fim à Guerra da Coreia em 1953, e que "a península coreana vai retornar ao estado de guerra".

O Conselho de Segurança da ONU, juntamente com o Japão e a Coreia do Sul, condenou os testes norte-coreanos e está elaborando uma dura resolução para punir os testes realizados por Pyongyang.

Segundo fontes diplomáticas, as prováveis sanções incluem ações como um embargo mais amplo de armas, o congelamento de fundos pessoais e empresas norte-coreanas no exterior e restrições às operações bancárias e financeiras do país.

Notícias relacionadas