Investigador de acidente participou de análises sobre queda de Concorde

O investigador-chefe no inquérito sobre as causas do acidente do voo 447, Alain Brouillard, também participou das investigações da catástrofe envolvendo um avião Concorde da Air France, em 2000.

Naquela ocasião, a aeronave caiu sobre um hotel em Gonesse, nos arredores do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, apenas 28 segundos após a decolagem.

O acidente, que matou todas as 109 pessoas a bordo e outras quatro em solo, acabou contribuindo para o fim do jato supersônico, que já vinha apresentando problemas de rentabilidade para as companhias que o operavam.

A tragédia foi provocada por uma peça metálica na pista, pertencente a outro avião, que fez um dos pneus do Concorde explodir, arrancando um importante pedaço do tanque de combustível.

As análises das caixas pretas do supersônico duraram 18 meses e o relatório final foi divulgado dois anos após o acidente.

'Tecnologia'

Alain Bouillard é funcionário do Centro de Análises e Investigações da Aviação Civil da França (BEA, na sigla em francês), ligado ao Ministério dos Transportes.

A entidade analisa as causas de acidentes aéreos envolvendo companhias aéreas e fabricantes franceses. O BEA anunciou ter formado quatro equipes para realizar a análise sobre o acidente com o voo 447 da Air France, com 20 especialistas da própria agência e 30 outros do fabricante Airbus e da companhia aérea francesa.

Os destroços que serão recolhidos na área do acidente no Oceano Atlântico vão ser enviados ao laboratório "com tecnologia de ponta" do BEA, nos arredores de Paris, para uma série de exames técnicos e científicos, disse a assessoria da BEA à BBC Brasil.

A assessoria revelou que, em princípio, o avião não será reconstruído, como já ocorreu em outros acidentes investigados pelo BEA.

O centro francês normalmente solicita o auxílio de um ou dois outros laboratórios franceses de pesquisas para analisar os destroços do avião.

A entidade também informou na quarta-feira que deverá divulgar até o final de junho um relatório provisório com as primeiras conclusões sobre o acidente com o voo da Air France que decolou do Rio de Janeiro rumo a Paris com 228 pessoas a bordo.