Equipes de busca encontram corpos e destroços do Airbus

Avião da Força Aérea Brasileira participa das buscas
Image caption As buscas por caixas-pretas e destroços continuam no Atlântico

A Força Aérea Brasileira informou neste sábado que foram encontrados dois corpos e partes da asa do Airbus da companhia aérea Air France, que fazia o voo 447 e que desapareceu no Oceano Atlântico na noite de domingo levando 228 pessoas do Rio de Janeiro para Paris.

Os corpos foram retirados da água a quase 900 quilômetros a nordeste de Fernando de Noronha no início da manhã deste sábado, segundo o vice-chefe de Comunicação Social da Aeronáutica, coronel Jorge Amaral.

"Confirmamos que retiramos da água objetos e corpos do voo da Air France", afirmou. "É uma notícia triste, mas é um certo conforto pelo fim da angústia (dos familiares)", acrescentou Amaral em uma entrevista coletiva em Recife.

Além dos corpos de homens foram encontrados mais objetos ligados aos passageiros, entre eles, uma mochila contendo um computador e uma maleta que continha um bilhete de voo da Air France.

"Foi confirmado que o número do bilhete corresponde a um passageiro no voo", acrescentou Amaral.

No início da noite de sábado, em uma nova entrevista coletiva, a Força Aérea Brasileira também confirmou que foram encontradas partes da asa do avião e poltronas durante a tarde.

"Além dos dois corpos, (foram encontrados) vários destroços da aeronaves, entre eles assentos do avião, bem como partes da asa e diversos outros itens localizados ao longo do dia", informou o tenente-coronel aviador Henry Wilson Munhoz Wender, do Centro de Comunicação da Aeronáutica.

Todo o material recolhido será levado primeiramente para Fernando de Noronha para ser catalogado e, em seguida, para Recife. As buscas na região continuam.

"A prioridade é encontrar corpos e depois os destroços. Cada achado se traduz na ampliação da área de buscas", disse o capitão-de-fragata Giucemar Barbosa Cardoso, chefe do Centro de Comunicação da Marinha.

Caixas-pretas

Estes objetos foram os primeiros a serem definitivamente ligados ao avião da Air France, quase seis dias depois do desaparecimento.

Image caption Corveta Caboclo recolheu poltrona e corpos durante as buscas deste sábado (foto arquivo)

Alguns destroços que imaginava-se que eram do AF 447 foram avistados no início da semana, mas foi provado depois que os objetos recuperados não eram do Airbus.

Correspondentes afirmam que os esforços da busca também se concentram na procura das caixas-pretas com os registros do voo.

As caixas pretas têm um mecanismo que emite sinais de localização mesmo a 4,3 mil metros abaixo da superfície da água. Não se sabe, porém, se a caixa preta - mesmo que encontrada - sobreviverá à pressão das profundezas.

Autoridades francesas afirmam também que não há garantias de que estes mecanismos ainda estejam presos às caixas pretas, pois podem ter sido separados no impacto da queda.

As autoridades ainda não sabem a causa ou causas do acidente, mas o Airbus estava atravessando uma área de tempestades e turbulência quando desapareceu.

Os representantes do Centro de Investigações e Análises de Acidentes Aéreos da França (BEA, na sigla em francês) afirmaram neste sábado que o Airbus emitiu 24 mensagens automáticas de erros nos sistemas em quatro minutos, antes de desaparecer dos radares.

Neste sábado, a Air France anunciou que irá "acelerar o programa de trocas do sensores de sua frota de A330 e A340".

Segundo o comunicado divulgado na noite deste sábado, a Air France ressalta que a decisão de acelerar o programa de reposição dos sensores, lançado no dia 27 de abril, "não tem ligação com as causas diretas do acidente" com o voo 447 da companhia.

Na sexta-feira, o ministro da Defesa francês Herve Morin informou que um submarino francês está sendo enviado para se juntar à operação de busca. O submarino tem equipamento de sonar que pode ajudar a localizar as caixas-pretas do Airbus.

Os Estados Unidos também estão enviando equipamentos para ajudar nas buscas.

Notícias relacionadas