Irã pede que repórter da BBC deixe o país

Jon Leyne
Image caption Jon Leyne é correspondente fixo da BBC em Teerã

As autoridades do Irã pediram que o correspondente da BBC no Irã, Jon Leyne, deixe o país nas próximas 24 horas.

A BBC afirmou neste domingo que Leyne deixará o país, mas que o escritório da empresa continuará aberto. Jon Leyne é correspondente fixo da BBC em Teerã e transmite boletins de rádio, televisão e internet. Em nota oficial, a corporação lamentou o pedido do Irã.

O pedido foi feito um dia depois de protestos no Irã contra o resultado das eleições presidenciais terem provocado pelo menos 10 mortes.

Meios de comunicação estrangeiros, entre eles a BBC, estão operando sob restrições severas do governo do Irã, que tem impedido que repórteres chequem informações e cubram eventos nas ruas.

Poucos dias após a eleição de 12 de junho, o sinal do canal de televisão da BBC em farsi foi interrompido. A BBC afirma que houve uma "interferência proposital" vindo do Irã.

Em resposta, a BBC aumentou o número de satélites que transmitem a BBC em farsi para o Irã, Afeganistão e Tadjiquistão.

Notícias relacionadas