Brasil suspende retorno de embaixador a Honduras

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, durante encontro de emergência da Alba no último domingo (AFP)
Image caption Zelaya foi deposto por um golpe militar no último domingo

O Ministério das Relações Exteriores informou, nesta segunda-feira, que o retorno do embaixador brasileiro a Honduras está suspenso “por tempo indeterminado”.

O embaixador Brian Michael Fraiser Neele, que estava de férias no Brasil, retomaria ao trabalho nos próximos dias.

A decisão reflete o descontentamento do governo brasileiro com a deposição do presidente Manuel Zelaya por forças militares, no último domingo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já havia dito, pela manhã, que o Brasil “não reconhece” o novo governo de Honduras, liderado presidente do Congresso, Roberto Micheletti.

“Se Honduras não rever a posição, ela vai ficar totalmente ilhada no meio de um contingente enorme de países democráticos”, disse Lula.

Leia também na BBC Brasil: Lula diz que não reconhece novo governo de Honduras

Ainda no domingo, quando deposição de Zelaya foi confirmada, o Itamaraty divulgou uma nota condenando o episódio “de forma veemente”.

“Ações militares desse tipo configuram atentado à democracia e não condizem com o desenvolvimento político da região. Eventuais questões de ordem constitucional devem ser resolvidas de forma pacífica, pelo diálogo e no marco da institucionalidade democrática”, diz a nota.

Outros países da região, entre eles Estados Unidos e Venezuela, também condenaram o golpe de estado em Honduras.

Notícias relacionadas