Resgate encontra corpos após queda de Airbus no Índico

Foto: Arquivo
Image caption Maioria de passageiros vinha para Comores de Paris, via Iêmen (Foto: Arquivo)

Autoridades de aviação do Iêmen anunciaram ter retirado do mar alguns corpos de possíveis ocupantes do Airbus A310 da companhia aérea Yemenia, que caiu no Oceano Índico por volta da 1h51 desta terça-feira (hora local, 19h51 da segunda-feira em Brasília).

O avião levava pelo menos 142 passageiros a bordo, além de 11 tripulantes, e havia decolado de Sanaa, no Iêmen, com destino a Moroni, em Comores. A aeronave caiu cerca de 30 minutos antes de aterrissar, ao norte do arquipélago africano.

O voo IY626 era o trecho final de uma rota que se iniciou em Paris, na França, com conexão no Iêmen até Comores. A maioria de passageiros era de comorenses, mas também havia franceses a bordo.

Em entrevista à emissora de rádio Europe 1, o ministro dos Transportes da França, Dominique Bussereau, disse que "está se falando" no mau tempo como possível causa do acidente. "Mas neste momento, tudo ainda está muito vago", afirmou.

O vice-presidente de Comores, Idi Nadhoim, disse que ainda não se sabe se há sobreviventes.

Destroços

Segundo o correspondente da BBC para a África Oriental, Will Ross, militares da França estão ajudando o governo de Comores nas operações de resgate.

Autoridades comorenses teriam afirmado ainda que já foram avistados destroços da aeronave.

A companhia aérea Yemenia colocou uma mensagem em seu site na internet, lamentando "o desaparecimento do voo IY626".

Em 1996, um avião de uma companhia aérea etíope foi sequestrado e caiu na mesma região, matando a maioria das 175 pessoas a bordo.

Comores, um país formado por três das quatro ilhas do arquipélago de Comores, fica a cerca de 300 km a noroeste de Madagascar, no canal de Moçambique, na África.

O país foi protetorado e território ultramarino da França, tendo conquistado a independência em 1975. A grande maioria da população - 98% - é islâmica.

Notícias relacionadas