Contra crise, gigante britânica oferece férias de até um ano em troca de salário menor

Logo da BT pintado na sede da empresa em Londres (arquivo)
Image caption BT cortou 15 mil vagas em 2008 e espera cortar o mesmo este ano

A gigante de telecomunicações britânica British Telecom está oferecendo a seus funcionários férias prolongadas para quem concordar em receber apenas parte do seu salário.

Em meio à crise econômica que já significou um prejuízo bilionário no primeiro trimestre deste ano, a empresa diz que está procurando alternativas para reduzir os gastos com sua folha de pagamentos para evitar demissões.

Uma das opções oferecidas aos funcionários é sair de férias por um ano inteiro em troca de 25% do salário de um ano pago de uma só vez.

A empresa também está incentivando os empregados a adotar reduções na carga horária: funcionários com filhos terão a opção de trabalhar apenas durante os horários escolares, e aqueles que concordarem com um regime de meio período receberiam um bônus de mil libras (cerca de R$ 3,2 mil).

A BT, que emprega mais de 100 mil pessoas, registrou nos três primeiros meses deste ano fiscal uma perda de quase 1 bilhão de libras (cerca de R$ 3,2 bilhões). A companhia anunciou que cortará cerca de 15 mil postos de trabalho neste ano, tendo cortado semelhante número de vagas no ano passado.

No mês passado, outra empresa britânica, a companhia aérea British Airways, pediu a seus funcionários que tirassem até um mês de férias não-remuneradas para ajudar a reduzir as despesas do grupo. A empresa registrou no ano fiscal passado, que terminou em março, uma perda recorde de 400 milhões de libras (quase R$ 1,3 bilhão).

Notícias relacionadas