irã

Autoridades do Irã descartam sobreviventes em queda de avião

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Um avião iraniano com 168 pessoas a bordo caiu na manhã desta quarta-feira, quando fazia a rota entre Teerã e Yerevan, capital da Armênia. Segundo autoridades iranianas citadas pela imprensa local, não há sobreviventes.

De acordo com a agência de notícias estatal do Irã, IRNA, o acidente ocorreu quando o avião, um Tupolev da companhia Caspian Airlines, sobrevoava a província de Qazvin, no noroeste do país.

O chefe de polícia de Qazvin, Hossein Behzadpour, e o chefe do centro de controle de desastres do Ministério da Saúde do Irã, Mohammad Reza Montazer Khorasan, confirmaram à emissora estatal Press TV que todas as 168 pessoas a bordo – incluindo passageiros e tripulação – morreram no acidente.

A maioria dos passageiros do voo era formada por armênios, e o avião teria caído pouco após decolar da capital iraniana. As causas do acidente ainda são desconhecidas e militares estão na região procurando as caixas-pretas da aeronave.

"O voo 7908 da Caspian (Airlines) caiu 16 minutos depois de decolar do aeroporto internacional Imã Khomeini", disse à Press TV o porta-voz da Organização de Aviação do Irã, Reza Jafarzadeh.

De acordo com a imprensa estatal iraniana, o avião teria explodido ao atingir o solo "formando uma cratera, enquanto os destroços se espalhavam por uma área de 200 metros quadrados".

Imagem de TV iraniana mostra peça de avião acidentado

TV iraniana mostrou imagens de pedaços do avião acidentado

A imprensa iraniana ainda informou, citando fontes aeroportuárias, que as comunicações entre o piloto e a torre de controle não indicavam nenhum problema técnico na aeronave.

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, enviou condolências às famílias das vítimas.

Aeronaves antigas

A aeronave modelo Tupolev foi construída na Rússia em 1987.

De acordo com o correspondente da BBC Jon Leyne, grande parte das aeronaves militares e civis que operam no Irã são antigas e, devido às sanções impostas pelos Estados Unidos ao país, também há dificuldades para se encontrar peças de reposição para os aviões.

Leyne afirma que o embargo econômico imposto após a Revolução Islâmica de 1979 obrigou o Irã a comprar aeronaves fabricadas na Rússia e na Ucrânia.

Mesmo assim, grande parte destes aviões de fabricação russa e ucraniana, segundo Leyne, já opera há muitos anos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.