Governo de ilha alemã multa organizador de 'flash mob'

Christoph Stüber (de amarelo, em cima do carro de som) durante a festa (Foto: Polícia de Husum)
Image caption Christoph Stüber (de amarelo, em cima do carro de som) durante a festa (Foto: Polícia de Husum)

O Departamento de Turismo da ilha de Sylt, no norte da Alemanha, está cobrando 20.230 euros (cerca de R$ 55 mil) de Christoph Stüber, de 26 anos. Christoph, que está desempregado, é acusado de ter convocado centenas de jovens mês passado, através de um portal de relacionamentos da internet, para uma festa em local público.

O evento, realizado nos moldes dos chamados flash mobs, reuniu mais de 5 mil pessoas nas praias da ilha. Segundo a administração local, ocorreram brigas, confusão e consumo excessivo de álcool, além dos participantes terem deixado um monte de lixo no local da festa e nos acessos à praia.

Depois que sua namorada anunciou o fim do relacionamento, Stüber decidiu organizar uma festa na praia, para "afogar as mágoas", junto com cerca de 100 amigos e conhecidos. Para isso, ele publicou um anúncio em um site de relacionamentos e se surpreendeu com o tamanho da repercussão. Mais de 13 mil internautas responderam ao convite, anunciando que compareceriam à rave.

Temendo um grande afluxo de gente, a administração pública tomou providências de emergência. A polícia e os serviços de saúde da ilha ficaram em prontidão e foram pedidos reforços ao continente. Empresas ferroviárias alertaram os usuários para a possibilidade de superlotação na ocasião.

A prefeita da ilha, Petra Reiber, afirmou que a multa é justificada pelos altos gastos provocados à comunidade pela festa. Stüber diz que não vai pagar a conta, alegando ter sido um "iniciador", não um "organizador" da festa.

As autoridades informaram que com a medida pretendem estabelecer um padrão de punição que deverá vigorar no futuro para eventos deste tipo.

Pela internet

Os chamados flash mobs são aglomerações convocadas com auxílio da internet e que chegam a reunir centenas de jovens que se juntam repentinamente em um lugar público e promovem uma ação conjunta, muitas vezes, uma festa.

O fenômeno tem tirado o sono de administrações de cidades europeias, preocupadas com o rastro de lixo deixado pelas festas relâmpago e a dificuldade em se chegar aos responsáveis pelos eventos.

Em 2006, um flash mob realizado ao mesmo tempo em várias estações de metrô de Londres provocou distúrbios que tiveram que ser contidos com ajuda da polícia.

Em janeiro de 2008 uma filial do McDonald´s de Munique, no sul da Alemanha, foi invadida por 700 clientes, que compraram mais de 4 mil hambúrgueres de uma vez. Em março do mesmo ano, em uma filial berlinense foram vendidos mais de 10 mil cheeseburguers.

O maior evento do tipo já registrado foi o Worldwide Pillow Fight Day, em março de 2008, quando milhares de pessoas promoveram guerras de travesseiros em 25 cidades de vários países.