Imprensa britânica destaca caso de lixo enviado ao Brasil

Lixo
Image caption Contêineres passaram meses sem ser investigados

A imprensa britânica destacou neste sábado o caso dos contêineres carregados de lixo enviados por duas empresas britânicas ao Brasil.

Com a manchete "O segredinho sujo da Grã-Bretanha", o Times afirma que a Grã-Bretanha foi acusada de despejar "lixo doméstico tóxico e lixo industrial em países em desenvolvimento em dois continentes, violando uma convenção internacional".

Segundo o Times, na sexta-feira à noite, o governo estava pensando em aumentar o controle sobre o cumprimento das regras para o envio de lixo para outros países, depois da descoberta no Brasil e ainda da descoberta de lixo eletrônico britânico em Gana, na África.

Segundo a imprensa britânica, o ministro do Meio Ambiente, Hillary Benn, ordenou a investigação de duas empresas britânicas ligadas ao caso - a Worldwide Biorecyclables Ltda. e a UK Multiplas Recycling Ltda - que pertencem ao brasileiro Julio Cesar Rando da Costa, que mora em Swindon, na Inglaterra.

Veja aqui entrevista de Julio César R da Costa à BBC Brasil

Benn teria admitido à imprensa que as leis que regem o envio de lixo para outros países podem não estar sendo devidamente cumpridas, e teria dito ao jornal que "se, depois de olharmos este caso em particular, haja lições a serem aprendidas sobre o cumprimento das leis, faremos isso".

"A Grã-Bretanha 'está largando lixo tóxico no Brasil'", diz a reportagem do jornal Daily Telegraph.

"Os contêineres deveriam estar transportando lixo reciclável, mas alega-se que, na verdade, continham lixo doméstico tóxico e lixo industrial", diz o jornal.

No Guardian, a matéria vem com o título: "Lixo perigoso britânico é deixado para apodrecer nos portos brasileiros".

O diário comenta que a descoberta causou nojo e o medo de que o Brasil esteja sendo usado como depósito de lixo, em violação ao tratado internacional de transferência de lixo perigoso.

O Guardian ainda afirma que empresas européias que tentam burlar regulamentações domésticas, tradicionalmente usam a África como um depósito para lixo perigoso.

O Independent também comenta a história, afirmando que "lixo perigoso britânico 'é largado em porto brasileiro'".

Segundo o jornal, "a Agência de Meio Ambiente, que é responsável pelo cumprimento da Convenção da Basiléia (que proíbe o envio de lixo tóxico para outros países) na Grã-Bretanha, confirmou que está investigando os envios, que causaram raiva no Brasil".

O Independent ainda destaca que as empresas responsáveis pela exportação dos contêineres pertencem a dois imigrantes brasileiros que chegaram a Grã-Bretanha há seis anos para trabalhar como operários.

E no tablóide The Sun, a manchete para a história é, simplesmente, "Está fedendo".

Leia também na BBC Brasil: Brasil investiga contêineres de lixo enviados da Grã-Bretanha

Notícias relacionadas