Talebã lança ataque com vários homens-bomba no Afeganistão

Image caption A segurança em Khost já havia sido reforçada após ataques recentes

Militantes do Talebã, entre eles vários homens-bomba, atacaram prédios do governo no sudeste do Afeganistão, na cidade de Khost, deixando pelo menos 14 civis feridos neste sábado.

Armados com fuzis automáticos, os extremistas trocaram tiros com forças de segurança, antes de seis deles se explodirem e um ser morto a tiros, de acordo com autoridades afegãs.

Ainda não se sabe ao certo quantos homens participaram ao todo da ofensiva suicida. O governo diz que oito teriam atacado vários locais e apenas um teria conseguido fugir.

No entanto, Zabihullah Mujahid, que se apresentou à BBC como porta-voz do Talebã, afirmou que "quatro dos nossos homens tinham entrado na cidade nesta tarde".

Os ataques agravaram a recente onda de violência lançada às vésperas das eleições presidenciais do Afeganistão, marcadas para 20 de agosto.

Autoridades do governo afirmaram que os militantes atacaram a principal delegacia da polícia de Khost e prédios próximos com armas automáticas e lançadores de granada e vestindo cinturões de explosivos.

Entre os feridos, um estaria em estado grave, segundo um porta-voz do ministério da Defesa afegão.

O morador de Khost Mohammad Goal Jan descreveu as cenas de batalha nas ruas da cidade.

Confusão

"Posso ouvir muitos tiros e explosões altas vindos do escritório do chefe da polícia. A polícia e o Exército fecharam as principais ruas, Khost está deserta. Há muita confusão no momento", afirmou à BBC.

Um dos candidatos à Presidência do Afeganistão, Ramazan Bashardost, estava em Khost no momento do ataque, mas escapou ileso.

A batalha nas ruas de Khost deve abalar a confiança no governo afegão, que prometera uma melhora na segurança para as eleições, na avaliação do correspondente da BBC em Kabul Bilal Sarwary.

Os ataques devem intensificar os temores sobre as províncias rebeldes do sudeste do país, onde a maior parte dos moradores vive com medo.

Nas últimas semanas as províncias de Khost, Paktia e Ningarhar foram atacadas, e a segurança já tinha sido reforçada em Khost, que fica próxima à fronteira com o Paquistão.

Segundo moradores da região, todos os carros que entravam e saíam da cidade vinham sendo revistados.

Em maio, seis morreram em outro ataque coordenado a prédios do governo em Khost.

Na semana passada, quatro seguranças morreram em ataques a Gardez, cerca de 80km noroeste de Khost.

Em Jalalabad, no leste afegão, outro policial morreu em um ataque.

Notícias relacionadas