Irã poderia libertar um dos principais líderes da oposição

Image caption Milhares de manifestantes foram detidos no Irã desde as eleições

Um dos mais importantes nomes da oposição no Irã, Saeed Hajjarian, que foi preso durante os protestos contra a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, deve ser libertado nesta quarta-feira segundo as últimas informações vindas do país.

Segundo o correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, a libertação de mais este oposicionista é mais um sinal da pressão que o governo iraniano está sofrendo.

A oposição, de acordo com Leyne, será fortalecida pelo que entende como vitória moral e também, potencialmente, pelo retorno de muitas figuras importantes.

Na terça-feira, o governo do Irã determinou a libertação de 140 iranianos detidos durante os protestos contra os resultados das eleições presidenciais em 12 de junho

Saúde frágil

Saeed Hajjarian é um dos mais importantes membros da oposição preso durante os protestos de junho.

Image caption Saeed Hajjarian já sofreu uma tentativa de assassinato em 2000

Sua família disse temer por seu bem estar.

Ele é portador de deficiência física em consequência de uma tentativa de assassinato que sofreu em 2000.

Seus parentes alegam que Hajjarian está sendo interrogado exposto ao sol a temperaturas de até 40 graus, e então submergido em água gelada, o que causa fortes palpitações cardíacas.

O correspondente da BBC lembra que a questão da prisão dos oposicionistas desde as eleições se transformou em um novo foco de críticas ao governo iraniano vindas até mesmo daqueles que o apoiam.

A libertação de 140 detidos na terça-feira, mostrou que o governo finalmente foi obrigado a ceder. Até então, as autoridades evitaram fazer concessões, por acreditarem que isso seria um sinal de fraqueza.

Além da libertação dos detidos o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, ordenou o fechamento de um centro de detenção em Teerã no qual manifestantes oposicionistas eram mantidos.

A razão para o fechamento do centro, segundo o governo, teria sido a violação dos direitos dos detidos por parte da administração.

Jon Leyne afirma que para a oposição o fechamento de uma prisão e a libertação dos detidos são medidas meramente cosméticas, e não indicam uma verdadeira mudança política.

Mas o correspondente ressalta que para o líder supremo as medidas equivalem a uma nova humilhação. A ordenação do fechamento de uma prisão é uma tarefa geralmente executada pelo presidente ou pelo ministro do Interior.

Leyne antecipa que com a cerimônia de posse do presidente Ahmadinejad prestes a acontecer nos próximos dias, a pressão sobre o governo deve apenas aumentar.

Notícias relacionadas