Explosão em Mallorca, na Espanha, mata dois guardas

Funcionários dos serviços de emergência aguardam para atender feridos em Mallorca, Espanha (AFP)
Image caption Dois guardas morreram e vários ficaram feridos em explosão

Um carro-bomba explodiu nesta quinta-feira em um posto da guarda civil na ilha de Mallorca, na Espanha matando dois guardas e ferindo várias pessoas, informaram as autoridades do país.

A explosão na cidade turística de Palma Nova aconteceu às 13h50 do horário local (8h50 no horário de Brasília) a poucos quilômetros do palácio Marivent, onde a família real espanhola está passando suas férias de verão.

O incidente acontece um dia após outra explosão em frente a um prédio da polícia em Burgos, no norte da Espanha, ferir levemente quase 50 pessoas. O prédio foi quase destruído.

A polícia atribuiu o ataque em Burgos ao grupo separatista basco ETA.

O correspondente da BBC em Madri, Steve Kingstone, disse que o ETA provavelmente será investigado no novo atentado em Mallorca. O grupo seria responsável por mais de 820 mortes desde a sua fundação. Na sexta-feira, o ETA comemora o aniversário de 50 anos do seu surgimento.

Uma porta-voz da guarda civil disse à agência de notícias AFP que dois guardas foram mortos no ataque de quinta-feira. Eles estavam em um carro de patrulha que estava em frente ao prédio quando o carro-bomba explodiu.

Várias pessoas ficaram feridas. A região do ataque é bastante movimentada.

Um homem que estava almoçando em um restaurante nas proximidades disse à BBC que ouviu a forte explosão e viu a fumaça no local.

"Nós corremos para a esquina para ver o que havia acontecido e vimos o carro estacionado na esquerda da rua pegando fogo", disse Dave Wilkinson.

"Do outro lado da rua, um homem estava deitado no chão e outras duas pessoas estavam com ele, fazendo respiração boca-a-boca. Um carro de polícia chegou e oficiais disseram para as pessoas se afastarem porque poderia haver uma outra bomba na região e não era seguro. Dois ou três helicópteros estavam circulando pela área."

Forças de segurança disseram à agência de notícias espanhola EFE que a bomba pode ter sido colocada embaixo do carro de patrulha e detonada quando os guardas entraram no veículo ou ligaram o motor.

O governo brasileiro divulgou uma nota na qual toma conhecimento dos atentados em Burgos e Mallorca "com grande pesar". "Ao manifestar suas mais sinceras condolências e solidarizar-se com os familiares das vítimas, o Governo brasileiro reitera seu profundo repúdio a todas as formas de terrorismo", diz a nota divulgada pelo Itamaraty.

Notícias relacionadas