Obama se diz 'otimista' com economia, mesmo com PIB menor

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama
Image caption Barack Obama disse que taxas de desemprego ainda continuam altas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta sexta-feira que está "cautelosamente otimista" a respeito dos rumos da economia americana, apesar do anúncio de que o PIB americano encolheu a uma taxa anualizada de 1% entre abril e junho deste ano.

"Estou cautelosamente otimista em relação aos rumos que a nossa economia está tomando", disse Obama, após a divulgação, pelo Departamento de Comércio americano, dos resultados do PIB segundo trimestre.

Esta é a primeira vez em mais de 60 anos que a economia americana apresenta retração em quatro trimestres consecutivos, mas a contração foi menor do que a esperada por grande parte dos analistas, que previam queda de cerca de 1,5% no PIB americano.

"Esta manhã, o PIB revelou que a recessão que nós enfrentamos quando eu assumi o poder era ainda mais profunda do que qualquer um imaginava na época", disse Obama.

"Mas o PIB também revelou que nos últimos meses a economia se saiu melhor do que pensávamos, melhor do que o esperado."

O presidente atribuiu o resultado melhor que o esperado às medidas implementadas pelo governo nos últimos seis meses para combater a recessão.

Desemprego

No entanto, segundo Obama, ainda há "muito trabalho a ser feito" e não haverá uma recuperação real enquanto as taxas de desemprego continuarem altas.

"Quero ter certeza de que todos os americanos que ainda estão lutando porque estão desempregados ou sem trabalho suficiente saibam que este governo não vai descansar enquanto a movimentação que estamos vendo nos negócios não se traduza em empregos."

Novos dados sobre desemprego nos Estados Unidos serão divulgados na próxima semana. "Quando recebermos nosso relatório mensal sobre desemprego, na próxima semana, ele deverá mostrar que nós ainda continuamos a perder muitos empregos", disse Obama.

Segundo o repórter de economia da BBC Steve Schifferes, a melhora na economia americana no segundo trimestre se deve, principalmente, aos pacotes de estímulo econômico, que aumentaram os gastos do governo dos Estados Unidos.

Schifferes aponta, no entanto, que deve levar algum tempo até que a produção americana volte aos níveis anteriores à crise.

Dados revisados

O Departamento de Comércio também apresentou nesta sexta-feira dados revisados sobre a atividade econômica no trimestre anterior, que apontam queda de 6,4%.

O governo americano havia previsto anteriormente contração de 5,5% no PIB neste período.

Na última quarta-feira, o Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos, divulgou os dados do chamado “Livro Bege”, que apontam que a atividade econômica no país “começou a se estabilizar”.

Leia também na BBC Brasil - Fed: Atividade econômica nos EUA começa a se estabilizar

Segundo as informações coletadas pelo Fed até 20 de junho, a economia continuava “enfraquecida” no início do mês, com baixa atividade nas vendas no varejo e no mercado de trabalho, mas o ritmo do declínio desacelerou e ficou mais “moderado”.

Notícias relacionadas