Uribe vem ao Brasil discutir acordo com EUA e Unasul

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe. Foto: AP
Image caption Uribe deve conversar sobre a crise entre Colômbia e Venezuela

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, estará em Brasília nesta quinta-feira para conversar pessoalmente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a crise diplomática com a Venezuela e discutir a pauta da União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

Segundo o Palácio do Planalto, a sugestão do encontro – que não estava previsto na agenda bilateral – partiu do governo colombiano. O objetivo seria “discutir assuntos de interesse da Colômbia na Cúpula da Unasul".

O grupo se reúne na próxima segunda-feira, em Quito, no Equador, mas Uribe não estará presente.

Colômbia e Equador estão com as relações diplomáticas suspensas desde o ano passado, quando o exército colombiano fez uma incursão no território do Equador para atacar um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Venezuela

Lula e Uribe deverão ainda conversar sobre a crise diplomática entre Colômbia e Venezuela, que estão com as relações congeladas desde a semana passada. A decisão partiu do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sobretudo em função de um acordo militar entre Colômbia e Estados Unidos, que está em negociação.

O governo brasileiro também tem criticado o acordo entre Caracas e Washington, pela “falta de transparência”. O presidente Lula disse, na semana passada, que a construção de bases militares americanas em terreno colombiano “não lhe agrada”.

Leia na BBC Brasil: Brasil pede 'transparência' da Colômbia sobre acordo militar com EUA

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que a Colômbia tem “soberania” para decidir sobre um acordo com os Estados Unidos, mas que faltou discutir o assunto com o Conselho de Defesa da Unasul.

Criado em março deste ano, o Conselho tem como um de seus objetivos dividir informações sobre investimentos na área de defesa entre os 12 países-membros.

A sugestão do ministro Amorim é de que o assunto seja discutido em Quito, mas o governo do Equador, atualmente na presidência da Unasul, ainda não confirmou a realização desse encontro.

Além do Brasil, o governo colombiano anunciou ainda que o presidente deve visitar Peru, Chile, Paraguai e outros dois países para esclarecer o possível acordo militar com os Estados Unidos.

Notícias relacionadas