Irã confirma prisão de americanos que cruzaram fronteira

Shane Bauer (esq.), Sarah Shourd (dir.) e Joshua Fattal (abaixo)
Image caption Americanos teriam sido presos por entrarem ilegalmente no Irã

Autoridades iranianas confirmaram, nesta terça-feira, que detiveram três cidadãos americanos que entraram no país a partir da fronteira com o Iraque na última sexta-feira.

De acordo com a imprensa estatal do país, os americanos – dois homens e uma mulher – teriam sido presos na cidade de Marivan, na fronteira norte do país, depois de terem “entrado ilegalmente” no Irã.

Segundo as autoridades do país, os três teriam ignorado os avisos dos guardas e cruzado a fronteira, entrando em território iraniano.

A fronteira entre o Irã e o Iraque nesta região, no entanto, é conhecida por não ter uma demarcação clara.

Os americanos, que teriam passaportes com vistos de entrada para o Iraque e a Síria, estariam sob custódia da polícia iraniana e sendo interrogados.

Identidades

Em entrevista à agência de notícias iraniana Fars, o vice-governador da Província iraniana do Curdistão, Iraj Hassanzadeh, afirmou que qualquer pessoa que tentar “cruzar ilegalmente a fronteira com o Irã será presa”.

As autoridades iranianas não divulgaram os nomes dos americanos detidos, mas eles foram identificados por parentes como Shane Bauer – um jornalista especializado em Oriente Médio – sua namorada, Sarah Shourd, e Joshua Fattal, cujo pai é iraquiano.

Na última segunda-feira, diplomatas suíços – que representam os interesses dos EUA no Irã – e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, tinham feito um apelo às autoridades iranianas para que divulgassem informações sobre os americanos.

“Obviamente, estamos preocupados. Queremos que este caso seja resolvido o mais rápido possível”, disse Clinton.

Segundo Jon Donnison, correspondente da BBC em Washington, a prisão dos americanos pode piorar ainda mais as já tensas relações entre os Estados Unidos e o Irã.

Notícias relacionadas