Atentado mata 21 afegãos que viajavam para casamento

Fuzileiros navais em estrada no Afeganistão. Foto: AFP
Image caption Fuzileiros navais dos EUA tentam detectar bombas em estradas afegãs

Uma bomba colocada em uma estrada no Afeganistão matou pelo menos 21 pessoas que estavam a caminho de um casamento no distrito de Garmsir, sul do país, segundo informações das autoridades.

Segundo o chefe de polícia da província de Helmand, Assadullah Sherzad, há mulheres e crianças entre os mortos. O ataque aconteceu na quarta-feira, mas a informação só foi divulgada nesta quinta-feira.

Nesta quinta-feira, cinco policiais afegãos foram mortos por uma bomba colocada na estrada no distrito de Nadali, também em Helmand.

Ataques em estradas são comuns contra forças de segurança estrangeiras e afegãs, mas não contra civis. Milhares de tropas da Otan estão em Helmand.

Talebã acusado

O correspondente da BBC em Cabul, Martin Patience, disse que não está claro se a festa de casamento era o principal alvo do ataque.

O general Shir Mohammad Zazai disse que as vítimas viajavam em um trator e um trailer. Ele atribuiu o atentado ao talebã.

"Isso é trabalho do inimigo da nação, isso é o trabalho do inimigo da paz e o trabalho do talebã", disse.

O ministério afegão da Defesa confirmou o número de mortos. Autoridades disseram que pelo menos outras cinco pessoas ficaram feridas. Tropas afegãs foram enviadas à área.

O distrito de Garmsir é um reduto de rebeldes. Fuzileiros navais americanos vêm tentando sufocar o movimento de insurgentes antes da realização das eleições provinciais e presidenciais no Afeganistão, marcadas para o dia 20 deste mês.

O talebã convocou um boicote às eleições e prometeu bloquear estradas que levam aos postos de votação. Analistas afirmam que o país está ficando mais violento às vésperas da eleição.

O secretário geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, chegou nesta quinta-feira à cidade de Kandahar, em visita oficial ao Afeganistão. Ele disse que está determinado a reduzir o número de vítimas civis da violência no país.

Notícias relacionadas