Polícia da Alemanha denuncia exportação ilegal de carros velhos

Carro em montadora alemã (arquivo)
Image caption Alemães recebem 2,5 mil euros quando mandam carro para ferro velho

Um sindicato que representa a polícia na Alemanha afirmou que até 50 mil carros que deveriam ir para o ferro velho – dentro do previsto em um plano de subsídios do governo alemão para a troca de carros – foram vendidos de forma ilegal para outros países.

Devido à crise mundial, que afetou fortemente a indústria automobilística do país, o governo alemão lançou em fevereiro um projeto que paga aos motoristas do país 2,5 mil euros (cerca de R$ 6,5 mil) para que eles se livrem de seus carros antigos e comprem novos. Planos parecidos foram lançados nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha.

Mas o sindicato BDK alega que até 10% dos carros que deveriam ter sido destruídos na Alemanha foram vendidos para a África e o leste europeu, o que custou aos contribuintes alemães 125 milhões de euros (cerca de R$ 328 milhões).

O ministro da Fazenda alemão, Peer Steinbrueck, afirma que o governo vai lançar um inquérito para investigar possíveis irregularidades.

Contêiner

A polícia alemã informou que, recentemente, encontrou um contêiner no porto de Hamburgo no qual havia 40 carros velhos. A carga iria para a África.

A polícia afirma que os donos dos carros já tinham recebido o subsídio do governo dentro do plano de eliminação de carros velhos, mas, em vez de serem levados para um ferro velho e destruídos, os carros acabaram nas mãos de gangues de criminosos, que revenderam os veículos.

A polícia disse que vários fatores causaram o problema. Devido à crise econômica mundial, o mercado de ferro velho enfrenta problemas e os donos dos desmanches estão com um excesso de carros que precisa ser eliminado.

Moore afirma que o controle não é eficaz, e as gangues de criminosos estão ficando cada vez mais hábeis.

Ambientalistas já alegavam que o programa do governo estava sendo alvo de criminosos e afirmam que não se surpreenderam com as informações divulgadas pelo sindicato.

"Fizemos um teste em janeiro e (...) conseguimos vender o mesmo carro duas vezes para o leste europeu, uma vez para a África e revender na Alemanha, apesar de já termos ganhado o bônus do governo alemão", afirmou Ulrika Fokken, porta-voz do grupo ambientalista alemão Help.

Desde o lançamento do plano do governo alemão, houve uma avalanche de pedidos. Até o momento, mais de 1,7 milhão de pessoas entregaram seus pedidos de subsídios às autoridades, tentando trocar seus carros velhos por modelos mais novos.

Notícias relacionadas