Tensão faz Iraque adiar 1º censo nacional em 22 anos

Curdo reza em mesquita no norte do Iraque (AFP, arquivo)
Image caption População curda foi excluída de contagem no último censo

O governo iraquiano adiou indefinidamente a realização do primeiro censo nacional em 22 anos no país por medo de que ele pudesse alimentar tensões étnicas e políticas.

A contagem populacional, que estava marcada para o mês de outubro, tinha o objetivo de revelar os tamanhos das diversas comunidades étnicas e religiosas do Iraque.

Mas, de acordo com o ministro do Planejamento, Ali Baban, o censo também poderia acirrar as disputas entre árabes e curdos por áreas no norte do país, como a da cidade de Kirkuk, rica em petróleo.

O último censo nacional no Iraque foi realizado em 1987. Dez anos depois, foi realizada uma outra contagem, que, no entanto, excluiu a população curda. O censo de 1997 aponta que o Iraque tinha 26 milhões de habitantes na época.

Disputa

De acordo com o ministro do Planejamento do Iraque, o país está “tecnicamente pronto para realizar o censo”, mas o governo decidiu “adiá-lo indefinidamente” após ser alertado a respeito dos “temores e preocupações de grupos políticos de Kirkuk e da Província de Ninive (também no norte do Iraque)” com o processo de contagem.

Membros da etnia curda afirmam que a cidade de Kirkuk, no norte do país, é sua capital histórica e reclamam o domínio da área, que é rica em petróleo.

Entretanto, a população árabe e turcomana da cidade não quer que Kirkuk passe ao controle curdo. Os membros da etnia também reclamam o domínio sobre algumas áreas da Província de Ninive.

Segundo autoridades americanas, as disputas entre árabes e curdos por territórios e recursos são a maior ameaça à segurança do Iraque atualmente.

Notícias relacionadas