Estados Unidos

DNA inocenta homem que passou 20 anos na prisão nos EUA

Kenneth Ireland

Kenneth Ireland sempre se declarou inocente

Um exame de DNA ajudou a inocentar um homem que passou 20 anos na prisão nos Estados Unidos, respondendo à condenação por estupro e assassinato.

Kenneth Ireland, hoje com 39 anos, é a terceira pessoa a ser inocentada e libertada no país nos últimos três anos, com base neste tipo de teste.

"Estou me sentindo muito bem, é uma sensação impressionante", declarou Ireland ao deixar o tribunal onde foram canceladas as acusações contra ele. "Foi muito tempo e agora eu só preciso respirar."

Os advogados de Ireland não deram detalhes sobre o que ele vai fazer agora, mas a imprensa do Estado de Connecticut, onde ocorreu o caso, especula que ele deve entrar com um processo para pedir uma indenização.

Mistério

Ireland tinha 20 anos quando foi condenado a 50 anos de prisão pelo estupro e assassinato da operária Barbara Pelkey.

O corpo de Pelkey, que então tinha quatro filhos, foi encontrado despido na fábrica onde ela trabalhava sozinha durante a noite, em 1986.

Ireland sempre se disse inocente e foi ajudado pela organização Connecticut Innocence Project, reponsável também pelas recentes libertações de inocentes nos Estados Unidos.

Provas e amostras de DNA colhidas na cena do crime ainda estavam guardadas e, com o auxílio de novas tecnologias, foi possível determinar que não havia maneira de Ireland tê-lo cometido.

A promotoria de Connecticut disse que vai reabrir as investigações sobre o caso.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.