Oposicionista diz que eleições no Japão foram 'revolução'

Yukio Hatoyama (AP)
Image caption Yukio Hatoyama deve anunciar equipe de transição já nesta segunda.

O líder da oposição no Japão, Yukio Hatoyama, classificou as eleições parlamentares ocorridas neste domingo como uma “revolução”, enquanto pesquisas de boca-de-urna apontam uma vitória ampla de seu grupo, o Partido Democrático do Japão (PDJ).

De acordo com uma pesquisa de boca-de-urna feita pela rede de televisão japonesa NHK, o PDJ ganhou ao menos 300 dos 480 assentos da Câmara Baixa do Parlamento do país, terminando com uma hegemonia de cinco décadas quase ininterruptas do Partido Liberal Democrático (PLD), do atual primeiro-ministro Taro Aso.

Os resultados oficiais das eleições devem ser divulgados nesta segunda-feira.

Em declarações feitas após a divulgação dos primeiros resultados, Hatoyama, que tem 62 anos de idade e possivelmente se tornará o próximo premiê do Japão, afirmou que a população estava “cansada” do PLD.

“O povo está bravo com a política atual e com a coalizão governista. Nós sentimos que as pessoas queriam mudança”, disse Hatoyama, que é neto do fundador da fábrica de pneus Bridgestone.

“Nós não seremos arrogantes e iremos ouvir o povo”.

Governo

Espera-se que Hatoyama, que prometeu durante a campanha aumentar programas de seguridade social e combater a burocracia, anuncie uma equipe de transição de governo já nesta segunda-feira.

Em nota divulgada neste domingo, a Casa Branca classificou as eleições no Japão como “históricas” e afirmou que o governo americano está “confiante” de que as parcerias entre os dois países continuarão.

Durante a campanha, no entanto, Hatoyama já havia indicado que buscará uma política externa mais independente e mais distante dos Estados Unidos.

Apesar de os resultados oficiais ainda não terem sido divulgados, o primeiro-ministro Taro Aso reconheceu que, ao que tudo indica, seu partido, o PLD, está caminhando para uma grande derrota.

“Os resultados são muito severos. Havia muita insatisfação com nosso partido”, disse ele na sede da agremiação.

Ele ainda afirmou assumir a responsabilidade pela derrota e disse que irá renunciar à liderança do partido.

De acordo com informações preliminares, o comparecimento de eleitores às urnas foi de pouco menos de 50%, um pouco abaixo do das eleições de 2005, quando o carismático Junichiro Koizumi foi eleito por uma larga maioria.

Segundo as autoridades, eleitores podem ter deixado de ir às urnas devido às chuvas causadas pela aproximação de um tufão e a um alerta de gripe suína emitido pelo governo.

Notícias relacionadas