Polêmica histórica marca cerimônia de 70 anos da 2ª Guerra

Polônia
Image caption Cerimônias começaram no nascer do dia, na península de Westerplatte.

Líderes mundiais se reúnem nesta terça-feira na Polônia para marcar o aniversário de 70 anos do começo da Segunda Guerra Mundial, em meio à polêmica sobre o papel histórico da União Soviética no conflito.

O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, defendeu o ponto de vista de seu país em um discurso em que afirmou que em 1939 os soviéticos "esfaquearam a Polônia pelas costas".

O discurso foi feito no local onde, há 70 anos, no dia 1º de setembro, às 4:45hrs, o encouraçado alemão Schleswig-Holstein disparou na Polônia vários tiros contra a base de Westerplatte.

Ao mesmo tempo, o Exército alemão invadiu a polônia pelo leste, oeste e sul, em ataques que deflagraram a declaração de guerra de França e Grã-Bretanha contra a Alemanha dois dias depois.

Os poloneses, entretanto, sempre consideraram o Tratado de Não-Agressão firmado entre o regime nazista e os soviéticos uma semana antes da guerra, como o estopim da invasão alemão.

Duas semanas depois, em meados de setembro de 1939, o Exército soviético invadiu o leste da Polônia.

"No dia 17 de setembro, quando ainda estávamos defendendo Varsóvia, foi o dia em que a Polônia recebeu uma facada nas costas", disse Kaczynski.

"Glória aos heróis de Westerplatte, glória a todos os soldados que lutaram na Segunda Guerra Mundial contra o nazismo e contra o totalitarismo bolchevique", concluiu.

Um artigo escrito pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, e publicado no jornal polonês Gazeta Wyborcza, ajudou a aumentar ainda mais a tensão.

Putin condenou o pacto, mas afirmou que a União Soviética não tinha outra opção. Ele observou que, em 1938, França e Grã-Bretanha assinaram o Acordo de Munique com a Alemanha nazista, "destruindo todas as esperanças de criar uma frente unida contra o fascismo".

Ele não fez, entretanto, qualquer referência à invasão da Polônia pelo Exército Vermelho em setembro de 1939.

Putin deverá discursar mais tarde durante as cerimônias desta terça-feira. Putin lidera uma delegação de alto escalão da Rússia e deve ter uma série de encontros bilaterais com a Polônia e a Ucrânia para tentar melhorar as relações entre os países.

É a primeira vez que uma autoridade importante da Rússia participa de uma cerimônia para marcar a 2ª Guerra na Polônia.

Mais de 20 líderes de diversos países, entre eles a chanceler alemã, Angela Merkel, participarão das cerimônias para marcar os 70 anos do início da 2ª Guerra Mundial, que matou mais de 50 milhões de pessoas.

Notícias relacionadas