Apoio de Madonna a Israel gera críticas de palestinos

Image caption Madonna jantou com a líder da oposição Livni em Israel.

Internautas palestinos vem criticando a atitude da cantora americana Madonna, que durante sua visita a Israel demonstrou um apoio entusiasta ao país.

Nos dois shows que realizou em Tel Aviv, Madonna se envolveu na bandeira israelense e afirmou que “Israel é o centro da energia do mundo”.

O clip de Madonna, envolta na bandeira israelense, foi publicado no Youtube e despertou criticas de palestinos e internautas do mundo árabe.

Alguns reagiram xingando a cantora.

Outros se disseram decepcionados com o apoio unilateral de Madonna a Israel e mencionaram o sofrimento palestino e a situação na Faixa de Gaza.

'Rainha Ester'

Hania Bitar, diretora da ONG palestina Fialra de direitos humanos, disse ao site israelense Ynet que os protestos dos jovens palestinos contra Madonna “estão crescendo”.

“As reações na internet expressam a frustração dos jovens palestinos, que não podem assistir a um show de Madonna por causa do bloqueio e sentem que ela não se interessa por eles”, disse Bitar.

“Madonna tem direito de cantar para os israelenses e se envolver na bandeira deles, mas o que diz sobre Gaza? Queremos que ela também cante para nós. Ela também pode adotar uma criança de Gaza e entender que nós também somos pessoas que lutam pela liberdade e não querem violência”, afirmou a palestina.

Nos últimos anos Madonna adotou a Cabala, corrente mística da religião judaica e adotou o nome hebraico Ester. Em Israel, a cantora é chamada de “rainha Ester”.

No domingo, dia de sua chegada a Israel, Madonna viajou a Jerusalém e fez orações junto ao Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado para a religião judaica.

Ela ainda jantou com a lider da oposição Tzipi Livni e nesta sexta feira, antes de partir, deverá se encontrar com o primeiro ministro Binyamin Netanyahu.

A cantora realizou dois shows em Tel Aviv, onde encerrou a turnê mundial "Sticky & Sweet Tour".

Ao final do segundo show, nesta quarta-feira, Madonna chorou e prometeu ao público que, desta vêz “não vai demorar tanto” para voltar a Israel. Desde seu último show no país se passaram 16 anos.