Gato desaparecido é encontrado a 3,8 mil km de casa

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O gato Clyde, que estava desaparecido havia três anos de sua casa, na ilha australiana da Tasmânia, finalmente reapareceu, a 3,8 mil quilômetros de distância, em Queensland.

A dona já havia perdido as esperanças de reencontrá-lo quando foi contactada por uma veterinária, que havia descoberto que o gato tinha um microchip com informações sobre ela.

Ainda não se sabe exatamente o que aconteceu com Clyde e como ele foi parar em Queensland. A única informação confirmada é que lá ele foi acolhido por uma enfermeira, que cuidou dele por um ano.

"Não sabemos como ele chegou lá, mas sabemos que ela é enfermeira e mora ao lado de um estacionamento de trailers, então pensamos se ele não foi levado por alguém que estava viajando e acabou entrando na casa da enfermeira, e seguindo ela para o hospital, até que ela decidiu dar comida para ele e levá-lo para casa. Ela cuidou dele muito bem", disse a dona do felino, Katrina Phillips.

Mas a enfermeira teve que se mudar e acabou levando Clyde para uma veterinária, que descobriu que ele tinha um microchip. Depois de checar a identidade do gato, ela localizou a dona na Tasmânia.

Katrina Phillips e a filha, Ashleigh Sullivan, não conseguiram conter a emoção quando se reencontraram com Clyde nesta quarta-feira. Elas dizem que ele foi muito bem tratado e está até um pouco acima do peso.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.