Taxa de derretimento do Ártico diminuiu este ano, dizem cientistas

Navio do grupo Greenpeace em área entre o Canadá e a Groenlândia (AFP, 14 de setembro)
Image caption Cientistas afirmam que tendência, no entanto, é de mais derretimento

O derretimento da calota de gelo do Oceano Ártico durante o verão deste ano no Hemisfério Norte foi menor do que o registrado nos dois anos anteriores, segundo cientistas do Centro Nacional de Dados sobre Neve e Gelo (NSIDC, na sigla em inglês) da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos.

A extensão mínima da camada de gelo neste ano foi registrada no dia 12 de setembro, quando ela cobria 5,10 milhões de quilômetros quadrados.

Esta área é maior do que os mínimos registrados nos dois últimos anos. Em 2007, quando foi constatado um derretimento recorde, o gelo chegou a cobrir apenas 4,1 milhões de quilômetros quadrados.

De acordo com os pesquisadores, os resultados deste ano se devem às temperaturas mais baixas registradas no Ártico e a ventos que ajudaram a dispersar o gelo pela região.

Gelo fino

Apesar do menor derretimento neste ano, a tendência de longo prazo ainda é de que o gelo cubra cada vez camadas menores, segundo os cientistas.

De acordo com os dados, no dia em que foi registrado o menor índice de congelamento em 2009, o gelo cobria uma área oceânica 24% menor do que a média entre 1979 e 2000.

Além disso, assim como no ano passado, a maior parte da cobertura congelada era formada por gelo novo e fino, que se formou durante um único inverno. Este gelo, segundo os pesquisadores, tende a derreter mais que o gelo mais antigo e grosso.

Dados divulgados recentemente apontam que a década atual é mais quente no Ártico nos últimos 2 mil anos. Segundo os pesquisadores, a região está se aquecendo a uma taxa duas vezes mais rápida que a média do resto do planeta.

De acordo com o NSIDC, os dados divulgados ainda são preliminares, e é possível - mas não provável - que haja mais derretimento neste ano.

Uma análise mais detalhada sobre o derretimento de gelo no Ártico este ano deve ser publicada em outubro.

Notícias relacionadas