FMI aprova venda de 400 toneladas de ouro de suas reservas

Barras de ouro
Image caption O FMI é o 3º maior detentor de ouro do mundo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou, nesta sexta-feira, a venda de 400 toneladas de suas reservas de ouro para financiar suas atividades e melhorar a capacidade do órgão de realizar empréstimos aos países pobres.

A quantidade a ser vendida representa um oitavo do volume total de ouro do FMI e é avaliada em US$ 13 bilhões pela cotação atual do metal. O Fundo é o terceiro maior detentor do metal no mundo, depois dos Estados Unidos e da Alemanha.

O diretor-geral do Fundo, Dominique Strauss-Khan, afirmou que a venda “será feita de maneira responsável e transparente para evitar transtornos no mercado de ouro”.

Antes de colocar o ouro no mercado, o FMI dará prioridade para vender o metal diretamente aos bancos centrais ou instituições oficiais. Para garantir a estabilidade do mercado, o FMI pode ainda realizar a venda gradualmente, de maneira que não se some a vendas programadas no Acordo dos Bancos Centrais Sobre o Ouro.

Em comunicado, o Fundo afirmou que os lucros ajudarão a financiar um novo modelo de entrada de capital para o FMI, deixando o órgão menos dependente do lucro gerado pelos empréstimos para cobrir as despesas, que incluem monitoramento das políticas econômicas e financeiras dos membros e outras atividades não relacionadas aos empréstimos. Além disso, o dinheiro arrecadado com as vendas também ajudará a melhorar a capacidade do Fundo de emprestar para países pobres.

A última vez que o FMI aprovou a venda de parte de suas reservas de ouro foi em 1999.

Notícias relacionadas