Em meio a tensão, Irã testa mísseis e anuncia manobras militares

Imagens do teste com míssil iraniano
Image caption Testes ocorrem em meio a tensão sobre programa nuclear iraniano

O Irã lançou neste domingo dois mísseis de curto alcance e anunciou para a segunda-feira testes com artefatos de alcance mais longo.

Os canais estatais Al Alam e Press TV mostraram imagens de manobras militares nas quais os mísseis de curto alcance Tondar-69 e Fateh-110 foram lançados em um terreno semelhante a um deserto.

As TVs não precisaram o alcance dos mísseis, mas especialistas de defesa acreditam que o Fateh, ou Conquistador, possa atingir alvos a 170 km de distância e o Tondar (Trovão), a 150 km.

Além disso, os canais informaram que Teerã realizará testes na segunda-feira com o míssil Shahab-3, que tem o maior alcance dentro do arsenal iraniano, e que analistas acreditam ser capaz de atingir Israel.

As manobras são realizadas após o recrudescimento das tensões entre o Irã, de um lado, e Estados Unidos, França e Grã-Bretanha, de outro, pela informação de que Teerã está construindo uma nova usina de enriquecimento de urânio.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse que a única finalidade da usina é produzir energia elétrica, e que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), responsável por monitorar as questões nucleares mundiais, foi informada dos planos iranianos há poucos dias, mais de um ano antes de as instalações entrarem em operação.

Mesmo assim, os três países condenaram a iniciativa iraniana, e o presidente americano, Barack Obama, afirmando que prefere uma solução diplomática para a crise, não descartou nenhum tipo de "opção" contra o Irã.

Leia também na BBC Brasil: Ahmadinejad diz que agência sabia da construção de 2ª usina nuclear

Representantes iranianos e de seis potências militares mundiais (EUA, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha) se reúnem em Genebra, Suíça, na próxima quinta-feira para discutir com o Irã uma série de temas, incluindo o programa nuclear iraniano.

<b>Desafio</b>

O correspondente da BBC em Teerã Jon Leyne disse que, certo ou errado, o teste iraniano dos mísseis será visto como um desafio ao Ocidente.

No sábado, a Guarda Revolucionária Iraniana havia anunciado as manobras com a finalidade de "melhorar a capacidade de defesa das Forças Armadas da República Islâmica".

Alguns analistas crêem que o país pretende utilizar o Shahab-3 (Meteoro-3) para carregar ogivas nucleares, mas vários outros especialistas ressaltam que aperfeiçoar a tecnologia do míssil para este fim é uma tarefa complexa.

O primeiro teste do Irã com o Shahab-3 foi realizado em julho de 2008. Segundo o Exército iraniano, o artefato pode viajar 2 mil quilômetros e atingir Israel e bases americanas no Golfo Pérsico.

Especialistas duvidam desta informação, mas apontam que é possível que o Shahab a ser testado na segunda-feira pelo Irã seja uma nova versão da arma, o Shahab-3b, que o país afirma ser capaz de viajar 2,5 mil quilômetros.