Líderes latino-americanos comemoram vitória do Rio em Copenhague

O líder cubano Fidel Castro (AFP/arquivo)
Image caption Fidel afirmou que escolha do COI é 'triunfo do terceiro mundo'

A vitória do Rio de Janeiro na disputa para ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, na última sexta-feira, gerou comemorações também entre os líderes de outros países da América Latina.

Em um artigo publicado no website Cuba Debate, o líder cubano Fidel Castro classificou a decisão do Comitê Olímpico Internacional como um “triunfo do terceiro mundo”.

No documento, Fidel afirma que “poderosas potências econômicas” estavam na disputa para sediar os Jogos em 2016, mas que quem triunfou foi uma cidade “do terceiro mundo”.

O líder cubano ainda diz que a vitória do Rio não deve ser entendida como “um ato de generosidade dos países ricos com o Brasil”.

“O triunfo desta cidade brasileira é uma prova da crescente influência dos países que lutam para se desenvolver.(...) Com certeza, entre os povos da América Latina, África e Ásia, a eleição do Rio de Janeiro será recebida com agrado em meio à crise econômica e às incertezas das mudanças climáticas”, escreveu Fidel.

América do Sul

Com a decisão do COI, o Rio de Janeiro será a primeira cidade da América do Sul a receber uma Olimpíada, o que também agradou os presidentes da região.

Quando soube da escolha do Rio, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse: “Que bom que o Brasil ganhou, quero compartilhar com uma grande alegria”.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, por sua vez, afirmou estar às ordens do governo brasileiro para fazer com que estas sejam as “melhores Olimpíadas da História”.

Chávez ainda se arriscou a fazer uma previsão sobre o desempenho de seu país nos Jogos.

“Vou dizer uma premonição que tenho, a de que a Venezuela será campeã de futebol nesta Olimpíada”.

O presidente do Peru, Alan Garcia, classificou a vitória do Rio como “maravilhosa” e disse que este é “um triunfo de toda América do Sul”.

Álvaro Uribe, presidente da Colômbia, por sua vez, afirmou estar “muito contente” com a vitória e seu colega paraguaio, Fernando Lugo, disse estar “emocionado”.

Já o secretário de Esportes da Argentina, Cláudio Morresi, afirmou que a escolha do Rio “enriquece o esporte sul-americano”.