Ásia

Terremoto deixou vilarejos completamente destruídos na Indonésia

Equipes de resgate buscam sobreviventes nos escombros de hotel em Padang (Getty Images)

Homem preso em escombros de hotel teria pedido ajuda pelo celular

Três dias após o poderoso terremoto que atingiu a ilha de Sumatra, na Indonésia, equipes de resgate temem que o número de mortos aumente ainda mais após terem descoberto que vilarejos inteiros foram destruídos em áreas mais remotas da ilha.

Até agora, os trabalhos de buscas têm se concentrado na cidade de Padang, capital da Província de Sumatra Ocidental, onde prédios e casas desabaram e mais de mil pessoas teriam morrido e outras 3 mil continuam desaparecidas, segundo a ONU.

As autoridades indonésias, no entanto, informaram neste sábado que o número total de mortos é de 540, com 303 pessoas desaparecidas e 2 mil feridas.

Vilarejos

Ao norte de Padang, vilarejos ficaram bastante destruídos e pelo menos quatro deles foram quase que completamente soterrados por deslizamentos de terra, segundo as autoridades do país.

De acordo com o repórter da BBC Alastair Leithead, que está na região, a única maneira de chegar a estes locais é caminhando, já que as estradas foram destruídas, impedindo também que medicamentos cheguem até as pessoas feridas.

Informações dão conta de que cerca de 600 pessoas estariam desaparecidas nos vilarejos ao norte de Padang, embora ainda existam poucas informações sobre a extensão da destruição nesta região.

Entre as pessoas soterradas estariam 400 pessoas que participavam de uma festa de casamento no vilarejo de Pulau Aiya, afirmou o chefe do cento de gerenciamento de crises do Ministério da Saúde, Rustam Pakaya, ao jornal indonésio The Jakarta Post.

Segundo ele, o deslizamento de terra foi tão grande que até mesmo um minarete de 20 metros de altura de uma mesquita ficou soterrado.

Ajuda

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

A ajuda internacional já começou a desembarcar no país, assim como equipes de resgate vindas da Austrália, Japão, Coreia do Sul e da Grã-Bretanha.

Teme-se, no entanto, que já seja tarde para salvar algumas das pessoas estão presas embaixo dos escombros.

Em Padang, um forte cheiro de corpos em decomposição já começa a sair dos destroços e há a preocupação de que surtos de doenças atinjam a população.

Neste sábado, equipes trabalhavam freneticamente nos escombros de um hotel na tentativa de resgatar oito pessoas que, acredita-se, possam ter sobrevivido ao tremor de quarta-feira.

Uma das pessoas que estaria presa teria enviado uma mensagem de texto por celular a um parente pedindo ajuda. Até o momento eles ainda não foram localizados.

O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, também liberou um montante da ordem de US$ 10 milhões para ajudar no atendimento a feridos.

“Este dinheiro tem que ser distribuído de forma rápida, sem burocracia, é emergencial”, afirmou.

O terremoto de quarta-feira teve magnitude de 7,6 na escala Richter e devastou parte da ilha de Sumatra. Na quinta-feira, um tremor secundário de magnitude 6,8 também foi registrado, sem causar maiores danos, no entanto.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.