Ataque suicida deixa três mortos em prédio da ONU no Paquistão

Atentado em Islamabad
Image caption Segurança foi reforçada após o atentado

Um suspeito extremista suicida atacou a sede do Programa Mundial de Alimentação da ONU (PMA) na capital paquistanesa, Islamabad, causando a morte de três funcionários e deixando vários feridos nesta segunda-feira.

Entre os mortos havia duas paquistanesas e um iraquiano.

Até agora, ninguém reclamou a autoria do atentado, mas o Talebã paquistanês é o principal suspeito.

O grupo prometeu vingança pela morte de seu líder Baitullah Mehsud em um ataque de aviões não tripulados americanos em agosto passado. Recentemente, o grupo esteve por trás de uma série de atentados no país.

Na semana passada, 16 pessoas morreram em dois ataques suicidas com carros-bomba no noroeste do Paquistão.

'Explosão enorme'

A TV local mostrou imagens de fumaça subindo e de janelas quebradas no prédio da ONU, pouco depois do ataque.

A bomba explodiu na área da recepção e a polícia agora está investigando como o extremista conseguiu burlar as medidas de segurança do prédio.

Cães farejadores foram levados para o local e investigadores estavam no telhado, procurando pistas. O edifício agora está cercado pela polícia anti-terrorismo, fortemente armada.

Para o Paquistão, esta é uma desconfortável lembrança de que sua capital continua vulnerável e prova que os militantes ainda podem atacar, apesar da segurança reforçada.

'Tragédia terrível'

Mais cedo, um funcionário do PMA, Sajjad Anwar, disse à TV local que a explosão ocorreu dentro do complexo da ONU, perto do prédio principal, onde havia cerca de cem pessoas trabalhando na hora do atentado.

“As paredes do prédio racharam por causa da intensidade da explosão”, disse ele.

“Não sei como isso pôde ocorrer. Nós temos segurança particular assim como a polícia do governo.”

O Programa de Alimentação da ONU confirmou a morte de três de seus funcionários e afirmou que vários outros ficaram feridos – dois estão em condição crítica.

O vice-diretor executivo do programa, Amir Abdulla, descreveu o ataque como “uma tragédia terrível para o PMA e para toda a comunidade humanitária do Paquistão”.

“Nossas mais profundas condolências vão para as famílias, amigos e colegas daqueles que morreram ou ficaram feridos neste incidente.”

“Essas pessoas estavam trabalhando para ajudar os pobres e os vulneráveis na linha de frente do combate à fome no Paquistão.”

Notícias relacionadas