Militantes mantêm soldados reféns no Paquistão

Militantes atacaram quartel-general do Exército
Image caption Este foi o mais recente em uma série de atentados no noroeste do Paquistão.

Um grupo de militantes que atacou neste sábado um quartel-general do Exército paquistanês está mantendo entre dez e 15 reféns, segundo relatos vindos do país.

Seis soldados e quatro militantes foram mortos no ataque inicial ao complexo em Rawalpini, nos arredores da capital, Islamabad.

O Exército havia dito inicialmente que a situação estava sob controle, mas dois militantes acabaram escapando.

“Eles estão mantendo alguns de nossos soldados (reféns)”, disse um oficial à agência de notícias Reuters.

Tropas trocaram tiros com os militantes depois que eles tentaram entrar no complexo fortemente protegido vestindo uniformes do Exército.

Os militantes jogaram granadas nos guardas que estavam nos postos de checagem, que por sua vez atiraram de volta.

Com importantes oficiais militares dentro do quartel, helicópteros de guerra foram chamados para ajudar a defender o local.

Atentados recentes

Este é o mais recente em uma série de ataques no noroeste do Paquistão.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo atentado, mas o Talebã vem ameaçando realizar ataques se as operações contra o grupo militante não forem suspensas.

Nos últimos dias, áreas controladas pelo Talebã em regiões tribais foram alvo de ataques aéreos e há informações de que a ofensiva será intensificada.

Nesta sexta-feira, pelo menos 50 pessoas morreram em uma explosão na cidade de Peshawar. O ataque ocorreu perto de um mercado lotado.

Na segunda-feira, um suspeito extremista suicida atacou a sede do Programa Mundial de Alimentação da ONU (PMA) na capital paquistanesa, Islamabad, causando a morte de cinco pessoas e deixando vários feridos.

Notícias relacionadas