Missão chinesa procurará tesouros roubados nos EUA e Europa

Estátuas chinesas leiloadas
Image caption Leilão de estátuas do Palácio de Verão indignou chineses

A China pretende enviar equipes de especialistas para os Estados Unidos, Europa e Ásia para encontrar tesouros que foram roubados do país.

A equipe está em busca de itens valiosos que foram levados do Palácio de Verão, em Pequim, há 150 anos.

Especialistas acreditam que 1,5 milhões de itens podem ter sido roubados do lugar, que foi destruído por tropas britânicas e francesas.

Nos últimos anos, a China vem se tornando cada vez mais atuante na questão da recuperação de tesouros roubados.

Caminho 'longo'

O antigo Palácio de Verão foi um complexo de palácios e jardins construído no século 18 para ser a residência dos imperadores da dinastia Qing.

O complexo foi destruído e pilhado por tropas britânicas e francesas em 1860. Hoje, o local abriga um parque e um museu.

A expedição mais recente anunciada pelo diretor do museu, Chen Mingjie, visitará museus, bibliotecas e coleções privadas nos Estados Unidos.

Eles também irão à Europa – com especial ênfase para a Grã-Bretanha e França – e a países asiáticos – em especial ao Japão.

"Nós não sabemos concretamente como muitas tesouros foram roubados, já que o catálogo do tesouro foi queimado durante a catástrofe", afirmou Chen ao jornal China Daily.

"Mas baseado em cálculos estimados, cerca de 1,5 milhões de itens estão em 200 museus em 47 países."

A outro jornal chinês, o Beijing News, ele disse que o objetivo da missão é simplesmente determinar o que foi retirado do palácio.

Ele disse que o objetivo da missão não é reaver os itens das coleções no exterior.

"Devido a muitos fatores, o caminho que precisamos seguir para retomar relíquias culturais que foram perdidas no estrangeiro é longo", afirmou.

"Nós vamos continuar trabalhando duro, mas retomá-los não será fácil."

Em 2002, a China estabeleceu um fundo para adquirir tesouros culturais roubados. O objetivo do fundo é convencer colecionadores e museus a devolverem as relíquias ou comprá-las quando elas são colocadas à venda.

Orgulho nacional

Tesouros roubados são um tema polêmico na China, porque relembram as pessoas comuns de um período em que o país era considerado fraco.

A maioria do material foi roubada e levada para o exterior entre 1840 e 1949, quando a China foi invadida por vários países.

No começo do ano, duas estátuas roubadas do Palácio de Verão foram leiloadas, provocando indignação nos chineses.

Os líderes chineses costumam lembrar, em seus discursos, incidentes como o roubo de tesouros e a destruição do antigo Palácio de Verão por tropas britânicas e francesas em 1860.

Na época, os países europeus estavam tentando convencer a China a abrir a sua economia para o comércio ocidental.

O local onde ficava o antigo palácio abriga hoje um parque, onde algumas das ruínas estão expostas. A tour guiada relata a destruição do antigo palácio e destaca os culpados pelo ato.

Notícias relacionadas